ABERTURA DO II CONGRESSO DA CNIS

Palavras de Mário Dias

O Presidente da Mesa da Assembleia-geral da CNIS, Mário Dias, fez as honras da casa na abertura do II Congresso Nacional da confederação referindo a importância crucial dos conceitos de solidariedade e coesão social.

“Mais pessoa, mais comunidade” é o lema do II Congresso da CNIS, um congresso que irá procurar analisar o modelo social europeu, as políticas sociais em Portugal e na União Europeia, segundo o presidente do congresso Mário Dias.

No discurso de abertura, Mário Dias sublinhou a os pontos essenciais de reflexão a abordar nestes dois dias de debate, nomeadamente as políticas de investimentos e o seu financiamento, o voluntariado social, o diálogo institucional, a pobreza e o desemprego, os idosos e a sua situação de dependência.

O presidente da mesa da Assembleia Geral da Confederação referiu o esforço da CNIS para fazer um levantamento das necessidades sociais pelas freguesias do país, mencionando que esse inventário pode servir de guião aos dirigentes governamentais para apresentação e estudo de respostas essenciais à resolução de inúmeros problemas sociais.

“A CNIS deve agir e responder de forma inovadora e concertada com os institutos do Estado e com as IPSS”, afirmou Mário Dias, referindo também a necessidade de “haver, obrigatoriamente, mudanças de atitudes dos dirigentes e das instituições, para que o esforço financeiro possa produzir cada vez mais e melhores respostas”.

O Presidente do Congresso terminou a intervenção apelando para que durante o congresso seja feita uma análise sobre a adequabilidade dos estatutos da CNIS à actual realidade social, reflectindo sobre os ajustamentos necessários a serem efectuados.


 

Data de introdução: 2006-02-12



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...