UNIÃO DAS MUTUALIDADES

Novo presidente defende maior aposta na Saúde e Ensino

O novo presidente da União das Mutualidades Portuguesas, Alberto Ramalheira, defendeu uma maior aposta nas áreas da Saúde e do Ensino, considerando importante que os associados vejam as mutualidades como uma "segunda família". "Queremos dar um contributo para que os associados vejam as associações como uma segunda família", afirmou Alberto Ramalheira, à saída de uma audiência com o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, no Palácio de Belém.

No encontro com o chefe de Estado, adiantou Alberto Ramalheira, a Uniäo das Mutualidades Portuguesas aproveitou para apresentar o movimento, que terá como uma das prioridades o desenvolvimento dos valores de solidariedade, ajuda mútua e responsabilidade. "Os valores têm vindo a perder-se, há muito individualismo, egoísmo", lamentou o novo presidente da União das Mutualidades Portuguesas, que agrega 72 associações mutualistas e 800 mil associados.

Por isso, acrescentou, a União das Mutualidades quer apostar na promoção dos valores, nomeadamente através da proximidade e da "solidariedade familiar". Alberto Ramalheira defendeu ainda uma maior aposta das mutualidades no sector da Saúde, nomeadamente na prestação de cuidados, bem como através das farmácias sociais. "Temos 10 farmácias sociais, mas vamos tentar abrir mais", disse, considerando "a Saúde como um das necessidades mais prementes".

O Ensino será, ainda de acordo com Alberto Ramalhaira, outra das áreas com a União das Mutualidades gostaria de apostar. "Também neste campo gostaríamos de aumentar a oferta", referiu.

 

Data de introdução: 2009-03-13



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...