BRUXELAS

Alunos portugueses vencem prémio europeu de cartazes

Um grupo de alunas portuguesas ganhou o primeiro prémio do Concurso Europeu de Cartazes do 20º. Aniversário da Convenção sobre os Direitos das Crianças, que se realizou a 10 de Maio, em Bruxelas. O trabalho elaborado pela equipa formada por alunos da Escola Secundária do Forte da Casa foi escolhido entre os três melhores cartazes europeus do concurso «Desenha-me um Direito!» e a ordem final dos vencedores foi revelada a 10 de Maio, durante a cerimónia europeia de atribuição de prémios em Bruxelas.

O concurso, lançado em novembro de 2009 pela Direcção Geral de Justiça, Liberdade e Segurança da Comissão Europeia, foi organizado em Portugal e decorreu ao mesmo tempo nos 27 países da União Europeia.
«O objectivo era que crianças e jovens aprendessem mais sobre os seus direitos e manifestassem a sua opinião sobre o assunto, elaborando um cartaz que ilustrasse um dos direitos da criança», refere a organização, em comunicado.

As equipas participantes tiveram de explicar no formulário de participação o motivo da escolha de um determinado direito para ilustração no cartaz e ainda qual a mensagem que queriam transmitir. O cartaz da equipa portuguesa chegou à fase final do concurso juntamente com os trabalhos elaborados por uma equipa da Alemanha e outra da Bélgica.

No total, a nível europeu, concorreram 11 334 cartazes.

Fonte: Lux

 

Data de introdução: 2010-05-17



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...