MEDIDA DE APOIO AO REFORÇO DE EMERGÊNCIA EM EQUIPAMENTOS SOCIAIS E DE SAÚDE

Governo estende MAREESS até 31 de dezembro

A Medida de Apoio ao Reforço de Emergência em Equipamentos Sociais e de Saúde (MAREESS), que já permitiu a colocação de quase 18 mil pessoas, vai ser prolongada até ao final do ano, anunciou o governo.
Em comunicado, o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social explica que com a prorrogação da medida, no âmbito da pandemia de Covid-19, vai continuar a ser paga a bolsa mensal de 438,81 euros para desempregados que recebem prestações de desemprego, ou de 658,22 euros para os restantes, estando prevista uma majoração de 30% para profissionais mais qualificados.
"As entidades que contratem sem termo os participantes colocados ao abrigo desta medida têm direito a um prémio-emprego", refere o ministério, acrescentando que "o apoio a conceder equivale a duas retribuições base, até ao limite de 2.194 euros".
De acordo com a informação divulgada, a medida que o governo, agora, prolonga até 31 de dezembro já permitiu, até março, a colocação de 17.500 pessoas em 1.855 entidades, 63% das quais em projetos de apoio a idosos.
"Esta medida foi criada em abril de 2020, no âmbito da pandemia por Covid-19, e permite a instituições como lares de idosos a integração de pessoas para desenvolvimento de trabalho socialmente útil", refere o ministério, segundo o qual já foram pagos 23 milhões de euros ao abrigo deste programa.
Acrescenta que estão abrangidas pela MAREESS pessoas desempregadas, inscritas ou não no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), trabalhadores com contratos suspensos ou horário reduzido, trabalhadores independentes e também trabalhadores com contratos de trabalho a tempo parcial, desde que não tenham mais de 60 anos. São ainda abrangidos estudantes ou formandos, desde que com pelo menos 18 anos.
O Ministério da Segurança Social adianta que foi também prolongado, até 30 de junho, o programa de testagem preventiva dos funcionários de lares de idosos.
"Ao abrigo deste programa, foram já feitos 276 mil testes desde março de 2020. Na segunda fase, atualmente em curso e iniciada em outubro de 2020, os 159 mil testes realizados permitiram evitar 851 potenciais surtos", acrescenta.

 

Data de introdução: 2021-03-26



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...