UNIÃO DISTRITAL DAS IPSS DE BRAGA

Pela importância das IPSS no distrito estes 20 anos merecem ser celebrados

A assinalar neste mês de setembro duas décadas de existência, a UDIPSS Braga vai celebrar o momento na sua habitual Semana Social, através da qual, ao longo de três dias, promove conferências e formações e ainda um grande convívio entre utentes, trabalhadores e dirigentes das IPSS do distrito. O cónego Roberto Mariz, presidente da União Distrital bracarense, elogia o trabalho dos seus antecessores e o esforço de todos os que trabalham e colaboram com a UDIPSS para que esta possa prestar o melhor e um maior apoio às instituições associadas, até porque os desafios futuros são grandes. 20 anos de UDIPSS “é uma efeméride que não queremos que seja esquecida, sobretudo pela importância que o Sector Social representa no distrito de Braga”, sustenta o líder da União.

SOLIDARIEDADE - Quais os principais marcos nestes 20 anos de história da União Distrital?
Cónego Roberto Mariz - Devemos ter presente que a história dos 20 anos da UDIPSS Braga é realizada por imensas pessoas ligadas aos órgãos dirigentes da União. Sendo que esta mesma história carrega o tempo em que não tinha a designação de União, mas de Secretariado. Como marcos relevantes desta história, situaria os 20 anos da UDIPSS Braga, com o tempo que antecedeu, num profundo esforço organizacional e de implementação que o Sector Social (IPSS) teve ao longo destas décadas. Este crescimento e amadurecimento do Sector Social veio acrescentar responsabilidade e exigência à União. Foi um trabalho contínuo e crescente, o qual se foi aperfeiçoando ao longo destas décadas no apoio Administrativo, Jurídico e Formativo. Um profundo bem-haja a quem trabalha diariamente com total dedicação e profissionalismo na União e a quem nos assessora, sobretudo na área jurídica, sem esquecer o apoio na área da formação.

Que balanço faz do legado que recebeu dos seus antecessores?
Perante o legado que é recebido, é de se manifestar a mais profunda gratidão para com o trabalho daqueles que nos antecederam. Não começámos do nada, não “inventámos a pólvora”, mas agarrámos o que outros trabalharam e continuamos esse trabalho, com dedicação e o melhor que podemos fazer, para um dia entregarmos a outros para que continuem o trabalho. Olhando a história, temos de situar todos dirigentes das IPSS do distrito de Braga, nos seus diversos órgãos sociais, os seus colaboradores e utentes que compõem estas instituições, que lhe dão vida e grandeza. Na UDIPSS há que reconhecer todos membros passados e presentes da Assembleia Geral, Direção e Conselho Fiscal. E gostaria de destacar duas pessoas que presidiram à Direção: Cónego Fernando Monteiro (grande obreiro no início e pelo trabalho desenvolvido junto das IPSS) e Dr. Manuel Lomba (“culpado” por eu estar com responsabilidades na UDIPSS-Braga).

Quais as maiores dificuldades à ação da União Distrital?
A dimensão da UDIPSS Braga, comparada com as diversas IPSS, é uma estrutura reduzida no número de colaboradores e valores de orçamento que envolve no desenvolvimento da atividade. Depois, o distrito de Braga é geograficamente bastante disperso, indo do litoral ao interior, com realidades populacionais muito díspares e um grande número de IPSS, que são muito diferentes. Conseguir chegar a todos e a todas as realidades é um desafio não fácil de ser conseguido. Por outro lado, representar todas as alegrias e preocupações, interesses e anseios das IPSS junto do Centro Distrital da Segurança Social é uma missão exigente. Por fim, as reivindicações mais profundas no apoio e reconhecimento por parte do poder estatal, que continuamente as IPSS nos falam e que nós partilhamos no seio da CNIS, mas nem sempre conseguidas de imediato.

Quais os grandes desafios para a UDIPSS no presente e, em especial, no futuro?
Muitos e variados são os desafios que se colocam à União e que, na generalidade, serão muito próximos dos desafios das IPSS no país. Não elenco todos desafios, mas alguns mais estruturantes, como a sustentabilidade. É importante olhar este sector de modo que se consiga a sua sustentabilidade para mais e melhor desenvolver os seus serviços de apoio às pessoas, às famílias e às comunidades. Situar as IPSS como verdadeiros parceiros do Estado (Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ministério da Educação e Mistério da Saúde). A realidade da Gratuidade das Creches que está a surgir e acarreta desafios que necessitam de profunda atenção em todo processo, tal como a questão da população idosa que apoiamos e acolhemos, sobretudo em ERPI, que precisa de uma efetiva articulação entre o sector e o Ministério da Saúde. Um outro desafio que aí está é o da transferência de competências da área social para os Municípios.

Como caracteriza a relação da UDIPSS Braga com as IPSS associadas?
Ao longo destas décadas temos tido um acréscimo contínuo de novas associadas. Consideramos esse ser um dos melhores elementos da perceção positiva de serem associadas da União/CNIS. Temos colocado o empenho para que a relação seja o mais próximo, efetiva e afetiva com todas as IPSS.

Pensam celebrar o 20º aniversário de alguma forma particular?
Não poderíamos deixar passar despercebida esta comemoração. Decidimos, no presente ano, agregar esta celebração à Semana Social que iniciámos já lá vão sete anos e que temos realizado em diversos concelhos e este ano decorrerá no Santuário do Bom Jesus de Braga. Aproveitamos para ter um momento comemorativo e celebrativo da ação das IPSS, reconhecendo e valorizando todo seu trabalho. É uma efeméride que não queremos que seja esquecida, sobretudo pela importância que o Sector Social representa no distrito de Braga.

 

Data de introdução: 2022-09-08



















editorial

FESTA DA SOLIDARIEDADE

No dia 24 de setembro próximo, em Viana do Castelo, haverá mais uma Festa da Solidariedade. Nos três dias anteriores a Chama da Solidariedade percorrerá os dez concelhos daquele distrito. Desde 2006, é a XV Festa da Solidariedade, uma iniciativa...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A degradação das instituições públicas
Nos últimos anos vimos assistindo a uma contínua e impressionante degradação dos serviços públicos. No sistema de justiça, para além da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Transferência de competências: um teste à democracia
Tenho acompanhado o zeloso cuidado com que os dirigentes das organizações nacionais e distritais representativos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS)...