OBRA DIOCESANA DE PROMOÇÃO SOCIAL

Ceia de Reis

Reuniram-se, no dia 14 à noite na Quinta da Igreja (Fânzeres), cerca de 400 convidados para a Ceia de Reis da Obra Diocesana de Promoção Social (ODPS). A quase totalidade dos presentes, trabalhadores dos 12 Centros Sociais da Obra e Serviços Centrais, existentes na Cidade Invicta, representaram 86% do n. actual de trabalhadores na ODPS (= 450).

Os restantes, próximo de 40, eram entidades e personalidades da nossa Sociedade, nos quais se destacam o Vigário Geral da Diocese do Porto, Pe. Dr. Américo Aguiar (em representação do Sr. Bispo do Porto); a Vereadora da Acção Social da C. M. Porto, Drª Matilde Alves; a Governadora Civil do Porto, Drª Isabel Oneto; o Director Adjunto da Segurança Social, Dr. Luís Vale; o Ecónomo da Diocese do Porto, Mons. Cón. Virgílio Resende; o Presidente do Centro Regional do Porto da Universidade Católica Portuguesa, Prof. Doutor Carvalho Guerra; o Médico Jubilado e Membro da Comissão Pontifícia para a Vida, Prof. Doutor Daniel Serrão; e o Presidente da Rede Europeia Anti-Pobreza, Pe. Agostinho Jardim Moreira, entre muitos outros.
Após a Ceia, o jovem Roberto Leão, estudante de Sociologia, proporcionou-nos um excelente momento musical, criando um maior entusiasmo na sala, iniciando a sua interpretação a solo, voz e guitarra, com grandes clássicos portugueses, como “Feiticeira” e “Porto Sentido”. Depois doutros temas, também internacionais, finalizou com “Paixão”, colocando ao rubro a maioria dos presentes. Aí todos cantaram a uma só voz.

O momento seguinte, do Presidente do Conselho de Administração da ODPS, Sr. Américo Ribeiro, foi firmado com um forte e sentido aplauso geral. Referiu-nos que “Falando da Obra Diocesana, teremos de elevar forçosamente o seu objecto central, isto é, reconhecer e cuidar das pessoas, daquelas que mais precisam, promover o seu bem-estar, a melhoria das suas condições de vida, a sua consciencialização e integração equilibradas e felizes, tanto quanto possível, na comunidade à qual pertencem ou onde se encontram inseridas. Quanto melhor se organizarem e quanto mais eficazmente trabalharem mais facilmente encontrarão a satisfação e auto-estima do dever cumprido e melhores serão os resultados nas múltiplas vertentes da Obra Diocesana. São as pessoas que fazem e farão a sua diferença. A diferença que preconiza e dá resposta às exigências e modificações constantes da actualidade, às necessidades prementes de cada contexto … surge pela QUALIDADE e pelo SUCESSO – factores que têm implícitos os talentos individuais, as capacidades, os saberes específicos e gerais e as competências, nestas destacam-se as humanas…”. Terminou, depois, o seu discurso, sempre com grande eloquência: “Prova inequívoca deste acreditar é a receptividade que teve este encontro, é a presença em massa de todos vós. É e será imparável o seu crescer. Hoje vive-se Obra Diocesana. Hoje trabalha-se com alegria! Hoje vivemos em família! Hoje somos nós!”

Houve, se seguida, um momento de Dedicação ao Bispo do Porto, D. Armindo Lopes Coelho, pela pessoa que é e pela forma como apadrinha esta Obra. Depois, houve um momento de Reconhecimento ao anterior Conselho de Administração, que teve como Presidente o Dr. Bernardino Chamusca. E houve, ainda, um momento de Gratidão às 6 senhoras que completaram em 2005 as suas bodas de prata ao serviço da Instituição, assim como à Drª Susana Vasconcelos, por ter criado o logótipo da ODPS.

Antes das intervenções, distribuíram-se os presentes: o prato de Natal 2005 da Vista Alegre e o Periódico Informativo da ODPS, “Espaço Solidário”, no seu nascimento, dirigido por André Rubim Rangel.

Primeiramente, escutamos o Dr. Luís Vale, que apontou o facto da beleza da Ceia. “Reis Magos significa dar, dar o melhor que têm. Assim é com a ODPS, que dá o melhor que tem a crianças necessitadas. A pobreza provavelmente vai acentuar-se. Temos na Europa 60 milhões de casos, para além de muita riqueza. Isto tem que ser invertido. Há já quem fale da «globalização da pobreza». Isto não está a traduzir-se para o bem-estar do mundo.” Concluiu, agradecendo à ODPS, “ainda bem que existem Instituições como esta para ajudar a reduzir essas situações”.
Depois interveio a Drª Matilde Alves dizendo: “A cidade do Porto agradece profundamente o trabalho da ODPS. Contem connosco em tudo o que possamos fazer”. De seguida, a Dr.ª Isabel Oneto destacou os momentos de vida tidos nesta Ceia e afirmou que “o estado social só se pode construir em parcerias com a comunidade civil”.

Por fim, o Pe. Dr. Américo Aguiar, comunicou que “O Sr. Bispo deseja a todos Bom Ano e agradece o trabalho de todos. Quer também que sintam de novo a confiança, o apoio e a oração. Hoje, é em homenagem aos obreiros, que sois vós, que desejo que os Reis Magos sejam um desafio na vossa vida”.

Foi, de facto, uma noite cheia de festa, vida e alegria.

 

Data de introdução: 2006-02-15



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...