CASA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, DAS IRMÃS DOROTEIAS

Festa dos 75 anos

A CASA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, DAS IRMÃS DOROTEIAS, comemorou no dia 4 de Março, na Figueira da Foz os 75 anos de existência. A directora é a Irmã Maria Isabel Monteiro que deixa aqui uma mensagem alusiva à efeméride. Veja também as fotografias da Festa.

“Há 75 anos chegámos à Figueira da Foz. Foi no dia 24 de Outubro de 1930.
Um passado que cresceu na audácia da Fé. Um presente que agradecemos a Deus-Comunhão. Um futuro que se lança na Paixão pelo Reino nos é confiado e encontra sentido porque tecido de nós e laços de muitos matizes, que um dia arriscaram, vieram, permaneceram…acreditaram!

O sonho de Paula, construir o Reino e a sua Justiça, foi-nos dado a nós, Irmãs Doroteias, e é partilhado e vivido por aquelas e aqueles que a vão tocando e conhecendo na missão evangelizadora que, como Família, vamos tentando viver.

Estamos a viver momentos muito fortes e significativos que tiveram no último dia 4 de Março A FESTA de FAMÍLIA com todos os Amigos que ao longo destes 75 anos nos ajudaram e ajudam a criar elos da Rede Solidária que passo a passo vamos tentando ligar, unir para mais e melhor servir, em simplicidade. A Eucaristia presidida pelo Senhor D. Albino, que nos deixou interpelações profundas sobre o nosso presente e futuro; a Placa identificativa da nossa Casa que surgiu ao fim de tantos anos; a generosidade do artista Figueirense que ofereceu o seu trabalho, o senhor Mário Nunes e o contributo solidário dos amigos; o almoço-convívio onde nos reunimos cerca de 400 pessoas na Sociedade de Instrução Tavaredense, instituição com forte implantação local; o Teatro, a Cultura, o Convívio, atributos de quem serve a comunidade e aposta na cultura como meio de fomentar a solidariedade. A presença de tantas e tantos que vieram de perto e de longe num gesto de amizade profunda que só o coração entende e as palavras não contêm, foram gestos do presente com sabor a muita Amizade construída ao longo destes 75 anos.

Obrigada Padre Lino Maia, foi muito bom tê-lo connosco! A proximidade constrói-se com gestos delicados, pequenos e muito significativos: ver, estar, acolher. Obrigada Prof. Manuel Domingos e sua mulher, vir de Viana do Castelo à Figueira da Foz é muito, mas sei que a Amizade fortalecida pela solidariedade vai muito longe. Obrigada Lúcia Saraiva e Família! Que alegria conhecer as filhas e o seu marido. Obrigada pela ousadia, pois nem a chuva nem o vento os fizeram deter! A solidariedade não se constrói sem ousadia. Obrigada Eng. Vítor Rechena e sua mulher! A ligação à Família Doroteia vem de longa data, mas traduzi-la com gestos de presença é desafio/compromisso. Obrigada Dr. Henrique Rodrigues, pelo seu estímulo, presença e conselho. Recriar a esperança é um grande desafio que nos lança. Obrigada Professor Nuno pela sua presença discreta e amiga. Obrigada Eleutério, Quirino, Goreti, João Dias pelas palavras-presença! Nem sempre os desejos se concretizam em actos, mas a presença torna-se vida de muitas formas, o coração é imenso. Obrigada Professor Eugénio pela carta-mensagem que enviou à Instituição. Quando se acredita tudo se vence, nem o cansaço, nem os afazeres nos impedem de chegar e apelar aos valores nos quais acreditamos: a Partilha, a Solidariedade, a Amizade que se funda na Novidade Maior que nos faz ir sempre mais Além, o Evangelho, a Boa Nova de Jesus.
Foram momentos de Celebração e de Convívio que ficarão no coração de todos nós, a dar a certeza de que somos uma Porta Aberta que não se confina ao espaço onde estamos, mas se estende como o mar na imensidão da comunidade onde nos encontramos. Hoje podemos dizer com mais convicção e muita certeza. Vale a pena “DAR”, ”SERVIR”, ”PARTILHAR”, ”CONSTRUIR”!

Obrigada ao “Solidariedade” por ter vindo até nós, por colaborar connosco, por nos dar a possibilidade de levar a Festa a todos os que acreditam que é possível. É preciso acreditar num trabalho em parceria, em rede, com todos os que apostamos na Solidariedade, como expressão identificativa de todas as IPSS’s.”

Figueira da Foz, Março de 2006
Maria Isabel Tenreiro dos Santos Monteiro



 VEJA MAIS FOTOS DA FESTA
 











    











   























 











    











   























 

Data de introdução: 2006-03-23



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...