Portugal tem das menores taxas de suicídio da Europa

Portugal é dos países europeus que tem das mais baixas taxas de suicídio, com uma média anual de seis em cada 100 mil habitantes, revelou esta quarta-feira o presidente da Sociedade Portuguesa de Suicidologia (SPS).

Segundo o psiquiatra Bessa Peixoto, os dados referem-se ao período compreendido entre 1996 e 2000 e são muito semelhantes aos restantes países do Mediterrâneo, contrastando com os do Norte, Centro e Leste Europeu, que revelam taxas mais elevadas.

O presidente da SPS falava à agência Lusa à margem das 12ª Jornadas de Saúde Mental do Algarve, que começaram hoje e se prolongam até sexta-feira e onde foi lançado o livro «Comportamentos Suicidários em Portugal».

A obra, editada pela SPS e com um total de 500 páginas, reúne contributos de 27 especialistas portugueses, entre médicos, enfermeiros, sociólogos, psicólogos e outros profissionais.

De acordo com o psiquiatra, se no continente europeu a taxa de suicídios diminui de Norte para Sul, em Portugal continental passa-se o inverso, com os suicídios a registarem-se mais nas regiões do Sul.

O fenómeno pode ser explicado pela solidão e desertificação próprias do Sul do País, a par de uma maior religiosidade no Norte, que funciona como um factor protector, observa Bessa Peixoto.

Apesar de serem as mulheres quem mais tenta o suicídio, são os homens que mais o consumam, sendo que os suicídios masculinos representam o triplo dos femininos: uma média de 9,4 por 100 mil habitantes contra 2,8 nas mulheres. Outro dado transversal na temática, refere Bessa Peixoto, é o facto dos idosos se suicidarem mais, não se podendo, contudo, traçar um «perfil» do suicida, já que o acto é originado por uma série de factores.

«É difícil apontar uma causalidade específica porque existe sempre uma constelação de factores», disse, salientando que as doenças psiquiátricas e estados depressivos podem potenciar o suicídio.

De acordo com o psiquiatra, os dados relativos ao suicídio têm-se mantido estáveis e a grande aposta agora deve ser estimular a investigação numa perspectiva de prevenção.

Coordenador da consulta de prevenção do suicídio do departamento de Psiquiatria do Hospital de S. Marcos, em Braga, Bessa Peixoto congratula-se pelo aumento do número destas consultas que se vem verificando em Portugal.

Fonte: Diário Digital / Lusa

 

Data de introdução: 2006-04-27



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.