CRIA - ABRANTES

Lar Residencial para deficientes - Obras perto do fim

O Centro de Recuperação Infantil de Abrantes e a empresa Construções Aquino e Rodrigues, S.A. assinaram o contrato para a realização da terceira fase das obras de construção do Lar Residencial para jovens e adultos portadores de deficiência.

A empreitada, adjudicada pelo valor de 99.972,64 euros (noventa e nove mil novecentos e setenta e dois euros e sessenta e quatro cêntimos), tem um prazo de execução de quatro meses.

A 3ª fase da obra que agora se inicia prevê, entre outros trabalhos, a colocação do pavimento no edifício, a instalação de equipamentos sanitários e pinturas de paredes. A fase seguinte, que será a última, destina-se apenas aos trabalhos de arranjos exteriores. Se a obra decorrer de acordo com o calendário previsto, estará concluída antes do final deste ano. Entrará em funcionamento em meados de 2007, depois de totalmente equipada e de reunir as melhores condições para as duas dezenas de pessoas que irão encontrar neste espaço a sua nova residência.

O Lar Residencial situa-se na Quinta das Pinheiras, em Alferrarede, numa parcela do terreno que envolve as actuais instalações da Instituição. Será uma nova valência do CRIA que pretende dar resposta aos casos dos utentes que apresentem um elevado grau de dependência, que percam os familiares directos e que não tenham quem, na sua residência, lhes garanta o apoio necessário nos cuidados de higiene, saúde e alimentação.
O custo total da construção rondará os 400 mil euros, contando com uma comparticipação de 302 mil euros da Segurança Social. Estes valores não incluem os equipamentos indispensáveis ao funcionamento, tais como a climatização, estimada em 50 mil euros e, todo o mobiliário que rondará os 150 mil euros.

Promover o conforto, o bem-estar físico e emocional e os cuidados básicos para uma vida saudável, são alguns dos objectivos desta futura valência. Por outro lado, apostará também em actividades que visem estimular as capacidades de cada utente, a sua autonomia e inserção social.

Vai ser um alargamento fundamental para a melhoria e abrangência dos serviços prestados pela Instituição às pessoas portadoras de deficiência, permitindo-lhe uma vivência marcada pela diferença, mas numa busca constante da sua igualdade em dignidade e direitos.

 

Data de introdução: 2006-05-21



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...