LAR FAMILIAR DA TRANQUILIDADE ORGANIZOU MAIS UM ENCONTRO INTER-INSTITUIÇÕES

600 idosos em sardinhada e marchas populares

Cerca de seiscentos idosos de 16 instituições sociais do Norte do país protagonizaram, a 27 de Junho um dia de convívio ímpar onde a alegria e a boa disposição foram a nota dominante.
A organização, como tem sido hábito, foi do Lar Familiar da Tranquilidade de Vila das Aves, tendo, este ano, sido batido o recorde de participações, quer em termos de idosos, quer de instituições presentes. Esta iniciativa é um dos eventos marcantes na vida deste lar – que acolhe uma centena de utentes, entre as valências de Lar de Idosos, Centro de Dia e Apoio Domiciliário – e pretendeu promover o convívio entre os idosos de diferentes instituições da região.

Os utentes das várias instituições foram chegando ao longo da manhã e perto do meio-dia entraram em acção os cozinheiros e os assadores, que grelharam cerca de duas mil sardinhas, oferecidas pela voluntária do Lar Familiar da Tranquilidade, Maria Cândida, que completou neste dia 70 anos de idade. No final da festa recebeu o merecido reconhecimento com o entoar dos parabéns. Agradecimento mereceu também o utente António Coelho, que nos últimos meses foi beneficiando o parque verde do lar, nomeadamente, pavimentando o acesso e a estadia junto das mesas de convívio existentes.

Depois de saciados com a sardinhada, a tarde foi preenchida com as tradicionais Marchas Populares protagonizadas por cada instituição presente. Músicas alusivas aos santos que marcam os festejos deste mês de Junho, arcos coloridos e vestes a condizer inundaram de cor e alegria o Lar Familiar da Tranquilidade.
A maioria das músicas, das coreografias, dos trajes e dos arcos foram preparados, previamente, em cada instituição pelos utentes e foram exibidos neste dia de convívio. Todos se esmeraram e trouxeram à Vila das Aves marchas com qualidade assinalável. Todos os representantes das instituições puderam usar da palavra e elogiaram a organização da iniciativa. “Muito bonito”, “fantástico”, “maravilhoso”, foram alguns dos adjectivos utilizados pelos responsáveis das várias instituições e todos eles prometeram voltar no próximo ano, se convidados, algo que com certeza será feito pelo Lar Familiar da Tranquilidade. Palavras reforçadas pelas duas instituições que participaram neste encontro pela primeira vez, a Fundação de Santo António, de Vila Boa do Bispo (Marco de Canavezes) e o Centro Social e Paroquial de Vilarinho.

As restantes 13 entidades presentes, além da anfitriã, foram as seguintes: Centro Convívio Bitarães (Paredes); Centro Social Paroquial de Alfena; Centro Social Paroquial Padre Ramos (Lavra); Centro Social e Cultural de S. Pedro de Bairro; Centro de Acção Social de Acolhimento à Terceira Idade (Roriz); Cruzada de Bem Fazer da Paz (Gaia); Lar do Comércio (Leça do Balio); Santa Casa da Misericórdia Baião; Santa Casa da Misericórdia Lousada; Santa Casa da Misericórdia Paredes; Santa Casa da Misericórdia Penafiel; Santa Casa da Misericórdia Santo Tirso; Santa Casa da Misericórdia Valongo.

No final da festa, Vanessa Machado, técnica superior de serviço social do Lar Familiar da Tranquilidade, apontou que a iniciativa “foi uma das melhores de sempre”, destacando o recorde de presenças. “Os elogios e o desejo de voltarem no próximo ano é o melhor agradecimento que podemos ter”, referiu ainda aquela técnica, apontando a continuidade da iniciativa.

 

Data de introdução: 2007-07-07



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...