PÓVOA DO VARZIM

Festa da solidariedade juntou em palco crianças e idosos

Foram cerca de 700 pessoas que se juntaram em grande ambiente de festa e animação, repartidas pelo palco, em números de dança e canto, e pela plateia, aplaudindo e incentivando os vários artistas que desfilaram no evento. Foi assim, mais um Solidariedade em Festa, que encheu o salão de congressos do Novotel Vermar num convívio de gerações e num desafio ao talento e à imaginação.

Todos os anos o espectáculo se repete. As instituições de solidariedade do concelho aderem sem reservas à proposta da Câmara Municipal, através do Pelouro da Acção Social, e juntam-se para uma tarde de convívio. Cada uma prepara um número artístico e leva grupos de utentes para assistirem e participarem na festa. O resultado é uma plateia onde se misturam crianças, jovens e idosos e um palco por onde passam as mais variadas actuações.

Este ano, coube ao MAPADI abrir o espectáculo, com um número de dança ao som de "My Umbrella" e a dança continuou com Xuxa e a Pequenada, do Centro Social e Paroquial de Terroso. A Beneficente optou por interpretar o conhecido tema "Fado", com a participação de utentes do edifício sede, do ATL, cantina social e centro de dia. Os mais pequeninos, desta vez do Centro Social Monsenhor Pires Quesado (Matriz) voltaram ao palco para dançar "24 Horas", tema da série televisiva Chiquititas, e a "Camisa Negra" foi depois cantada em português e dançada pelas crianças do Centro Social e Paroquial de Navais. O tema dos Abba, "I had a Dream" serviu de base ao número de dança das crianças do Centro Social e Paroquial de Aver-o-Mar e o palco pertenceu depois aos mais pequenos e aos idosos do Centro Social de Bem-Estar de S. Pedro de Rates que, em conjunto, apresentaram a "Canção do Mar". O ritmo hip-hop veio com "Le papa Pingouin", dançado com grande entusiasmo pelo grupo de crianças do Centro Social da Paróquia de Beiriz e a dança continuou com "J´aime Skier", interpretado pelos pequenos do Centro Social Bonitos de Amorim.

Os utentes da Santa Casa da Misericórdia recorreram à poesia para falar das datas importantes do calendário e as crianças do Centro Social e Paroquial de Aguçadoura seguiram-se em palco com mais um número de dança: "Os Marinheiros". O cantor poveiro, Rui Nova, rodeou-se de crianças do Instituto Maria da Paz Varzim para cantar "Gloria, Gloria, Aleluia" e, de seguida, dançaram as crianças da Obra de Santa Zita, que apresentaram "Vamos Surfar".

A terminar este Solidariedade em Festa, os idosos mostraram como se pode manter a forma e a energia e foram para o palco para uma demonstração de ginástica. Eram utentes de A Beneficente, do Centro Social de Bem-Estar de S. Pedro de Rates, do Centro Social Bonitos de Amorim e do Centro Social e Paroquial de Aver-o-Mar, que pertencem à turma de ginástica do projecto "Desporto Sénior", do Pelouro de Desporto da Câmara Municipal, e que demonstraram que não há idade para manter a forma.

O "convívio entre gerações e o estímulo de um espírito criativo" constituem a força deste Solidariedade em Festa, como reconheceu o vereador do Pelouro da Acção Social, Luís Diamantino, que encerrou a tarde subindo ao palco com os responsáveis pelas várias associações participantes e pela preparação dos números artísticos, que receberam uma pequena lembrança como forma de assinalar a sua preciosa colaboração neste evento.

Fonte: Póvoa Semanário

 

Data de introdução: 2007-12-08



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.