PROGRAMA DE AJUDA ALIMENTAR

Em 2008 prevê-se a distribuição de 14 milhões de euros de alimentos

O programa de ajuda alimentar a pessoas carenciadas prevê distribuir produtos no valor de 14 milhões de euros em 2008, com os primeiros cinco concursos a decorrer até final de Maio, afirmou o ministro da Agricultura.

Em declarações à agência Lusa, o ministro da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, Jaime Silva, avançou que estão a decorrer os primeiros cinco concursos para distribuir alimentos como massas, cereais para pequeno almoço, bolachas, farinha ou açucar.

Em Junho, vão decorrer mais três concursos para leite, produtos lácteos, manteiga e queijo.

Se houver necessidade, a situação actualmente definida pode ser revista, admitiu Jaime Silva.

No ano passado, foram 2.853 as instituições beneficiadas com o Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados que ajudaram 100 mil famílias, com 513 mil pessoas, ao distribuir 11 mil toneladas de alimentos no valor de 15,5 milhões de euros. "Foram oferecidas 8500 toneladas de leite, iogurtes, manteiga, bolachas, massas, arroz, açucar" a que se juntaram 4400 toneladas de fruta e hortícolas.

Entre as organizações que receberam alimentos para distribuir em 2007 estão o Banco Alimentar contra a Fome, a AMI, Cruz Vermelha, Caritas, as Misericórdias ou Bombeiros Voluntários.

O programa de apoio na área alimentar é totalmente financiado pela UE.

* Com Lusa

 

Data de introdução: 2008-05-07



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.