BANCO DE EQUIPAMENTOS AJUDA IPSS

Reciclagem aliada à solidariedade

A utilização de equipamentos eléctricos e electrónicos usados para fins de inclusão social vai ser hoje objecto de um protocolo entre a associação Entrajuda, a Confederação da Indústria Portuguesa e a Associação Industrial Portuguesa, noticia a RTP online.

Segundo a Entrajuda, o Banco de Equipamentos - destinado a fazer chegar às instituições que a associação apoia produtos não alimentares doados por empresas e particulares - tem "um triplo objectivo".

Ao nível da inclusão social, irá disponibilizar equipamentos "a pessoas carenciadas sem possibilidade de acesso a meios informáticos, potenciando a sua integração profissional" e proporcionar estágios "a desempregados que frequentem cursos do Instituto de Emprego e Formação Profissional e a alunos de cursos profissionais em informática".

No plano ambiental, visa "contribuir de forma activa para a redução dos impactos ambientais de uma incorrecta destruição de resíduos eléctricos e electrónicos, recuperando e reciclando correctamente equipamentos informáticos", além de combater o desperdício ao "aproveitar nas instituições tudo aquilo que deixou de ter valor nas entidades doadoras".

No âmbito tecnológico e de capacitação, pretende "dotar Instituições Particulares de Solidariedade Social e outras entidades consideradas de actividade social relevante, fornecendo-lhes o equipamento necessário ao desempenho da sua actividade".

A Entrajuda sublinha, num comunicado difundido via Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação, que "através deste projecto serão contempladas com diversos tipos de produtos mais de 800 instituições de solidariedade social", permitindo alcançar um universo total de "mais de 200 mil pessoas com carências comprovadas e níveis de rendimento baixos".

Com vista a dinamizar o Banco de Equipamentos, a Entrajuda "estabelecerá parcerias com empresas de diversos sectores, nomeadamente informático e de reciclagem" e "celebrará acordos com as instituições a apoiar, acompanhando-as na sua actividade e procurando que desenvolvam um projecto de inclusão social com cada indivíduo/família carenciada".

Os equipamentos eléctricos, electrónicos e informáticos podem ser doados desde que se encontrem em estado novo ou passíveis de reutilização e podem ser usados pela instituição que os recebe ou encaminhados para as famílias beneficiárias dos seus serviços.

Desta forma, as instituições beneficiárias "podem canalizar os seus recursos financeiros para as áreas mais críticas da sua actividade, de que são exemplo os recursos humanos, indispensáveis à prestação de um trabalho social de qualidade junto da população mais carenciada", adianta o texto.

O acordo para a criação do Banco de Equipamentos vai ser celebrado pelas 12:30 na Estação de Alcântara Terra (Avenida de Ceuta), com a presença de Maria Isabel Jonet, presidente da Entrajuda, e de Jorge Rocha de Matos e Francisco Van Zeller, que presidem, respectivamente, à Associação Industrial Portuguesa e à Confederação da Indústria Portuguesa.

 

Data de introdução: 2008-05-17



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.