OPINIÃO

Manifestos e Manifestações

Que inspiração excepcional terá conferido às nossas elites económicas esta súbita percepção tão apurada de fenómenos de crise que não conseguiram identificar e acautelar, vários deles enquanto governantes, a ponto de só agora se terem dado conta do que há muitos anos vem acontecendo no país?
Ficámos a saber que, na base das mesmas teorias económicas e com ventos a soprar das direitas como das esquerdas, há soluções para todos os gostos!
Enquanto os académicos nos brindam com as suas doutas análises, a comunicação social vai apresentando cada dia mais casos concretos de muita gente, cada vez mais gente, que luta desesperadamente pelo acesso a direitos sociais que a Constituição prevê, mas os governantes não têm sido capazes de garantir!

Quem sabe se a “grata surpresa” de, em 24 horas se ter conseguido alcançar o que durante onze meses não foi possível: um consenso para nomear um Provedor da Justiça…poderá constituir um “sinal milagroso” da classe política junto do eleitorado, dando a entender que iguais consensos se poderão conseguir na economia, na justiça, na segurança social e até na educação?

Afinal, parece que “o povo ainda ordena” e com uma simples x num boletim de voto pode fazer acontecer o que nem as maiorias absolutas são capazes de fazer cumprir!
Para a classe política, talvez mais que os manifestos, assustem as manifestações de descontentamento que desembocam em votos lançados nas urnas eleitorais!

Viva o Povo!

Padre José Maia

 

Data de introdução: 2009-07-10



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...