CHAMA DA SOLIDARIEDADE

De Lagos à Guarda evocando gestos solidários

O Conselho Geral serviu ainda para os conselheiros ficarem a conhecer mais pormenorizadamente o percurso da Chama da Solidariedade, que sairá do Algarve rumo à Beira Alta.
Assim, ficou a saber-se que, dia 24, a Chama da Solidariedade encetará o percurso rumo à Guarda, cidade que acolhe a Festa da Solidariedade no dia 29, em Lagos, onde pelas 9h00 será acesa a pira solidária e haverá discursos oficiais para assinalar a ocasião.
De Lagos, a Chama segue para a Cáritas Diocesana de Sines, distrito de Setúbal, onde será recebida pelas entidades oficiais. Após o almoço, segue para Setúbal, com paragens em Santiago do Cacém e Alcácer do Sal, antes de um pequena cerimónia na Praça do Bocage, em plena capital de distrito.
No dia seguinte (25), a Chama da Solidariedade viaja para o Seixal, onde no Parque das Paivas haverá uma concentração de IPSS. Cerca das 15h00, a comitiva passará por Almada, mais concretamente pelo Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro (Cova da Piedade), sendo posteriormente entregue a Lisboa, junto ao Mosteiro dos Jerónimos. A Chama iluminará ainda Loures e pernoitará em Mafra.
Ao terceiro dia (26), a comitiva segue para o distrito de Leiria, com chegada prevista a Peniche às 14h00, onde haverá uma marcha até ao centro da cidade, onde haverá um momento de animação.
Depois de iluminar a noite de Peniche, na manhã do dia 27, a Chama passará por todas as IPSS da cidade, seguindo então para Coimbra, onde a espera um vasto programa.
A chegada está prevista para as 15h00, com recepção no Convento da Rainha Santa, onde o pároco de Santa Clara e ex-presidente da Cáritas de Coimbra, padre António Sousa, fará uma alocução, subordinada ao tema «A Chama Solidária e a Rainha Santa Isabel».
Por volta das 14h00, dá-se a descida até Praça do Comércio, no centro da cidade. Aí, haverá algumas intervenções das entidades oficiais e aquilo que a UDIPSS Coimbra designou por «Festa da Solidariedade em Coimbra», com a presença de gaiteiros, bombos, fanfarras, concertinas, saltimbancos, fado de Coimbra, coros, folclore e grupos musicais. Às 19h00, será tempo de animar os estômagos, com sardinhas e fêveras grelhadas. Cerca das 20h00 serão dadas por terminadas as festividades, seguindo-se o jantar.
No dia seguinte (28), a Chama fará uma visita à Casa dos Pobres e à Associação das Cozinhas Económicas Rainha Santa Isabel, seguindo-se um almoço, que terminará o percurso pela «Cidade do Conhecimento».
Segue-se então a viagem para a Guarda, onde os representantes de Coimbra farão a entrega de testemunho cerca das 19h30, no Parque Urbano do Rio Diz, bem no centro da cidade mais alta de Portugal.
Aí, haverá a concentração dos acompanhantes da Chama e a partida com itinerário pela VICEG (Via de Cintura Externa) até à Rotunda do “G”, o qual será efectuado apenas por ambulâncias, motards e ciclistas.
Na Rotunda do “G” integrar-se-ão no cortejo os cavaleiros e os atletas que serão portadores da Chama, seguindo a comitiva pela Avenida Rainha D. Amélia, Jardim José de Lemos, Largo Frei Pedro, Rua do Comércio e Praça Luís de Camões.
Neste local, também conhecido por Praça Velha, as entidades oficiais receberão a Chama e ouvir-se-á o Hino da Chama, obra criada propositadamente para o evento pelo cónego Geada Pinto, seguindo-se o momento a Exaltação da Luz.
Segue-se um serão musical, com as actuações da Banda Jota e da Banda Renovação 3.
A festa da Luz terminará cerca da meia-noite com um espectáculo de fogo-de-artifício.

 

Data de introdução: 2013-06-19



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...