ALCOBAÇA

Centro de Educação Especial inaugura lar e centro ocupacional

O Centro de Educação Especial de Alcobaça inaugurou um novo lar residencial e um centro de actividades ocupacionais, num investimento de 1,7 milhões de euros que irá permitir diminuir os utentes em lista de espera. O Estado atribuiu 1,05 milhões, a autarquia 200 mil euros e o restante foi suportado pelo CEERIA.

O novo lar do CEERIA - Centro de Educação Especial, Reabilitação e Integração de Alcobaça tem capacidade para 24 residentes, dos quais 16 serão transferidos de dois espaços de alojamento" que já estavam a funcionar e oito serão novas admissões, disse o presidente da instituição, José Belo. No espaço, localizado na Quinta das Freiras, funcionará ainda um novo Centro de Actividades Ocupacionais (CAO) com capacidade para 30 utentes e equipado com "sala de musicoterapia, equipamentos de relaxamento, tanque de hidroterapia, ginásio e sala de fisioterapia".

Este será o quarto CAO a funcionar na instituição, aumentando para 120 o número de utentes que ali encontram respostas e reduzindo "longas listas de espera, porque muitas alunos com necessidades educativas, quando terminam a escola não têm onde se ocupar".

As novas valências foram construídas num terreno de 12 mil metros quadrados, doados pela empresa proprietária do Parque dos Monges (um parque ambiental, cultural e de diversões), testemunhando "o carinho da comunidade de Alcobaça à instituição que é de todos e cujos equipamentos queremos disponibilizar a toda a população".

Fundado em 1976, o CEERIA procura dar respostas no âmbito da educação especial, apoiando crianças, jovens e adultos com dificuldades em aceder a contextos familiares, escolares, sociais e profissionais adequados ao seu nível etário. Tem em funcionamento as valências de Intervenção Precoce na Infância, Valência Sócioeducativa, Centro de Recursos para a Inclusão, Centro de Reabilitação Profissional | Empresa de Inserção, Centro de Atividades Ocupacionais e Centro de Apoio Residencial.

A instituição, com mais de 65 colaboradores, apoia mais de 500 pessoas com deficiências e incapacidade e as respetivas famílias.

 

Data de introdução: 2014-08-04



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...