EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

50 instituições participam em programa da ADENE

Meia centena de instituições de solidariedade social vão participar num programa de eficiência energética que as ajudará a reduzir o valor da fatura da eletricidade e a aplicar esse ganho na sua missão, anunciaram os promotores do projeto.

O programa "Polo Positivo" foi criado pela ADENE - Agência para a Energia, pela ENTRAJUDA -- Apoio a Instituições de Solidariedade Social e pela Sair da Casca, consultora em desenvolvimento sustentável, com o objetivo de melhorar a eficiência energética em Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS).

Numa primeira fase, o Polo Positivo, concebido no âmbito do Plano de Promoção e Eficiência no Consumo de Energia Elétrica 2013-2014, promovido pela ERSE -- Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, vai abranger 50 IPSS que foram selecionadas entre as 334 instituições de todos o país que se candidataram ao programa, referem os parceiros do projeto em comunicado.

   Em cada uma das instituições será realizado um diagnóstico de eficiência energética, que inclui um programa de medidas acompanhado de um plano de formação e sensibilização adequado a cada uma das IPSS, sendo posteriormente assegurado por técnicos especialistas a monitorização dos resultados.

"Cada instituição ficará a conhecer a fundo as suas fragilidades a nível da eficiência energética e a forma como pode reverter a situação", sublinha o comunicado.

No final do ano, estas instituições "irão ver reduzido o valor da sua fatura de eletricidade, permitindo-lhes assim pouparem recursos financeiros e aplicá-los na sua missão social", acrescenta.

Para os parceiros do Polo Positivo, este programa reúne um conjunto de vantagens para as IPSS abrangidas.

"Acreditamos que a adoção de comportamentos e práticas mais eficientes no consumo de recursos energéticos permitirá às IPSS pouparem recursos financeiros, orientando-os para a sua missão social", afirma a presidente da direção-geral da ADENE, Gabriela Prata Dias, no comunicado

Já a presidente da ENTRAJUDA, Isabel Jonet, realça "a importância da sustentabilidade económica das IPSS e das iniciativas que contribuem para este objetivo", frisando que "a energia poupada reverterá a favor de quem mais precisa".  

Para Nathalie Ballan, da Sair da Casca, "O Polo Positivo pode significar o primeiro passo destas instituições na gestão mais sustentável dos seus recursos, tornando-as mais eficientes e eficazes na sua atividade".

O programa Polo Positivo decorre até 31 de Dezembro e no final do ano serão divulgadas as 10 IPSS que obtiveram os melhores resultados ao nível da eficiência energética.

 

Data de introdução: 2015-04-17



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...