ENCONTRO NACIONAL DE IPSS, SETÚBAL

Presidente da CNIS apela à presença dos dirigentes no debate sobre Cooperação

É já este dia 8 de junho que, no Fórum Luísa Todi, em Setúbal, a CNIS promove o Encontro Nacional de IPSS, uma iniciativa que pretende refletir e debater sobre a Cooperação.
Ciente da importância do tema para o grande universo das IPSS, o presidente da CNIS apela a que todos os dirigentes que estejam presentes, pois será um momento em que será possível, em conjunto, abordar algo estruturante na vida das instituições.
“Por vezes dizemos, e bem, que é preciso dar passos na Cooperação, que haja mais parceria e menos tutela, para que haja melhor apoio às instituições e menos intervenções inspetivas nas instituições, por isso, quero pedir a todos os dirigentes que puderem a estarem presentes no Encontro Nacional de IPSS, em Setúbal”, disse o padre Lino Maia.
Com início agendado para as 10h00, o Encontro Nacional terá como protagonista da sessão de abertura Fernando Sousa (presidente da UDIPSS Setúbal), José Pinto Rabaça (tesoureiro da União das Misericórdias Portuguesas), José Baptista (Direção da CNIS), Nuno Mota Pinto (administrador da Caixa Económica Montepio Geral) e Maria das Dores Meira (presidente da Câmara Municipal de Setúbal).
Após as boas-vindas e a introdução da temática em debate, Mariana Canotilho (Universidade do Minho) abordará, com a moderação de Eleutério Alves (Direção da CNIS), a «Cooperação no quadro constitucional», seguindo-se uma pausa para café.
A fechar a manhã de trabalhos, Filomena Bordalo (assessora da CNIS para a área da Cooperação) e Fernando Ferreira (provedor da Santa Casa da Misericórdia de Setúbal) discutirão as «Bases da Cooperação», sob moderação de Palmira Macedo (assessora da CNIS).
Após um momento de debate, será tempo para retemperar energias com o almoço, retomando os trabalhos da parte da tarde com um painel dedicado ao tema «Constrangimentos na Cooperação».
Com moderação de João Dias (presidente-adjunto da CNIS), o advogado Simões de Almeida e os dirigentes Alfredo Cardoso (presidente da Associação de Solidariedade Social, Cultural e Recreativa de Santa Maria de Braga) e Jaime Ramos (presidente da Fundação ADFP – Assistência, Desenvolvimento e Formação Profissional, de Miranda do Corvo) abordarão as dificuldades que encerra a cooperação com o Estado.
Seguir-se-á novo momento de debate, para o encontro entrar na sua reta final. Então, a CNIS apresentará as Conclusões pela voz do padre Lino Maia (presidente da CNIS), numa sessão de encerramento que contará ainda com a presença da secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim.
O presidente da CNIS, em declarações ao SOLIDARIEDADE, apelou ainda à presença de todas as instituições na Festa da Solidariedade, que no dia 9 de junho tomará conta da Praça José Afonso, igualmente em Setúbal.
“E peço também a todos que estejam presentes na Festa da Solidariedade. É um grande encontro no sábado, para o qual já estão inscritas bastantes instituições, mas era importante que mostrássemos a Setúbal e ao mundo português que somos um grande mundo, um mundo de bem-fazer, um mundo de bem-estar e um mundo que muito contribui para o bem comum dos portugueses”, apelou o padre Lino Maia.

 

Data de introdução: 2018-06-05



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...