GOVERNO E SECTOR SOCIAL PROTOCOLAM «VALORIZAR SOCIAL»

Programa vai valorizar dirigentes e trabalhadores das instituições sociais

Na cerimónia de assinatura do acordo de cooperação e qualificação «Valorizar Social», que decorreu em Coimbra, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social explicou que o programa serve para valorizar trabalhadores e dirigentes do sector social, bem como reconverter desempregados para esta área.
Ana Mendes Godinho anunciou que o programa «Valorizar Social», desenhado para responder a necessidades identificadas pelo sector social, pretende abranger cerca de 7.400 pessoas já este ano.
“Penso que estamos a dar um passo gigante em frente, porque o compromisso que estamos aqui a assinar vem na sequência de uma reivindicação e de uma preocupação sinalizada pelos parceiros do sector social, assumida no compromisso de 2020 e agora no novo pacto da cooperação, onde é assumido como prioridade total esta qualificação dos recursos humanos no sector social”, sublinhou.
Ao longo da sua intervenção, a ministra destacou a importância de ter sido desenhada uma oferta formativa à medida das necessidades de formação do sector social.
“Saibamos fazer de cada um dos trabalhadores do sector social um trabalhador que é valorizado e que sente que vale a pena e tem sentido trabalhar nesta área. Os trabalhadores movem-se por isso, os novos jovens procuram isso, uma vida com sentido e no sector social é isso que temos: uma vida com sentido ao serviço dos outros”, acrescentou.
Ana Godinho Mendes recordou ainda que a Economia Social representa mais de 6 por cento do emprego em Portugal, o que demonstra “a importância que tem do ponto de vista de criação de emprego e do desenvolvimento dos territórios”, para além da sua missão.
“Quanto mais conseguirmos ter pessoas mobilizadas nesta área, estaremos a responder de uma forma mais eficaz aos grandes desafios do país, os desafios de combate às desigualdades, promoção de mecanismos de apoio às famílias e infância, resposta ao investimento e, acima de tudo, de valorização do trabalho digno como elemento essencial da valorização pessoa humana”, apontou.
A ministra, que se fez acompanhar do secretário de Estado-Adjunto do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita, aproveitou ainda para realçar “o trabalho fundamental do IEFP [Instituto de Emprego e Formação Profissional] e da Segurança Social na preocupação e mobilização de recursos para proteger o emprego”.
O acordo de cooperação e qualificação «Valorizar Social» foi celebrado entre o IEFP e os parceiros do Sector Social Solidário: Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS), Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional, Confecoop, União das Misericórdias Portuguesas e União das Mutualidades Portuguesas.
O programa tem como objetivo incrementar as competências de gestão e digitalização das instituições para os dirigentes e trabalhadores de instituições sociais, bem como desempregados que possam vir a trabalhar no sector social.

Anas Cargaleiro de Freitas (fotos)

 

Data de introdução: 2022-01-16



















editorial

ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2022

No dia 29 de abril, seis meses depois de uma primeira tentativa, foi aprovado na generalidade o Orçamento do Estado (OE) para 2022. Entre os dias 2 e 27 de maio a proposta de lei do Governo segue para discussão na especialidade.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (I)
A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) é, e assim tem de continuar a ser, uma Organização não confessional. Durante os...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

O valor da negociação coletiva e a inflação
A situação da negociação coletiva em Portugal não é famosa. Embora tenha havido nos últimos anos alguma recuperação, estamos ainda longe do...