FESTA DA SOLIDARIEDADE – VIANA DO CASTELO 2022

“Estamos todos, IPSS, Autarquias e Governo, ao serviço das pessoas”

Viana do Castelo recebeu uma animada XV Festa da Solidariedade, iniciativa promovida pela CNIS, em parceria com a UDIPSS vianense, depois da Chama da Solidariedade ter passado pelos demais nove concelhos do distrito do Alto Minho.

Pelo palco instalado no Jardim da Marginal, em Viana do Castelo, passaram diversos grupos provenientes de diversas IPSS, cantando, dançando e animando as hostes, tal como o grande convidado do evento, o cantor minhoto Augusto Canário.

Perante a secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes, o presidente da CNIS deixou elogios à governante, pelo conhecimento, reconhecimento e empenho que tem demonstrado ao Sector Social Solidário e agradeceu “a todos os autarcas presentes, porque foram inexcedíveis, desdobrando-se em simpatia e colaboração com a Chama da Solidariedade”.

Sublinhando o empenho de todos “ao serviço das pessoas”, o padre Lino Maia dirigiu uma palavra às IPSS, na pessoa dos seus dirigentes, trabalhadores e utentes: “Não há nada mais bonito do que esta vontade e esta capacidade de, com gratuitidade, servir voluntariosamente os outros, em especial os mais necessitados”.

“O Estado faz o que pode, pois também não tem uma árvore das patacas e, ainda assim, devemos pedir sempre mais, mas não podemos desistir perante as dificuldades, porque o nosso lugar é junto dos que mais precisam. E é aí que devemos continuar, para que não fique ninguém para trás e que todos sejam mais felizes”, destacou o presidente da CNIS.

Por seu turno, Ana Sofia Antunes, depois de agradecer a “mobilização das pessoas no distrito em torno deste espírito de apoio às pessoas que mais precisam que a Chama da Solidariedade representa”, deixou três palavras aos presentes: “Agradecimento, que é devido a todos os representantes e colaboradores das instituições, em especial pelo seu trabalho e empenho durante a pandemia; parceria, pois o Estado pode procurar desenvolver as melhores políticas públicas, mas, como não está no terreno, se não tiver a capacidade de ouvir quem está mais próximo das pessoas e dos seus problemas, será muito difícil e, por isso estamos a tentar fazer isso com os Municípios e com a cooperação alargada com o Sector Social Solidário; e estímulo e confiança no futuro”.

A XV Festa da Solidariedade, juntamente com a tocha solidária, levaram o espírito voluntário de servir o outro até ao distrito de Viana do Castelo, em mais uma iniciativa coroada de sucesso, a avaliar pelos sorrisos de todos quantos foram tocados por ele.

Até para o ano!

 

Data de introdução: 2022-09-24



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...