XVI FESTA DA SOLIDARIEDADE – PORTALEGRE 2023

“Ser solidário é ter um gesto, é dar um abraço a quem dele precisa”

A terceira etapa da viagem solidária pelo distrito de Portalegre levou a Chama da Solidariedade a Elvas, a Campo Maior e ainda a Arronches, em mais uma jornada de grande participação das IPSS de cada concelho a que as populações locais têm aderido de forma entusiástica.
Pela fresca da manhã (se de fresca se pode falar!), a flama solidária chegou a Elvas, onde foi recebida de forma acolhedora por muitos utentes das diversas instituições concelhias, com especial destaque para os representantes da APPACDM, que proporcionaram um excelente momento musical a todos os que se reuniram em torno da Chama da Solidariedade, na Praça da República.
Anabela Cartas, vice-presidente da autarquia de Elvas, foi a anfitriã, em representação do presidente José Rondão Almeida, e lembrou que “ser solidário é dar uma palavra, ter um gesto, dar um abraço a quem dele precisa, não é apenas dar dinheiro”.
O momento de música tradicional protagonizado pelos utentes da APPACDM de Elvas animou todos os presentes e ainda atraiu alguns transeuntes.
Dali, a Chama seguiu para Campo Maior, vila marcada pela figura do empresário Rui Nabeiro, falecido em 2023. Junto da estátua que, no centro da localidade, perpetua o legado do comendador no território decorreu a cerimónia que serviu igualmente para homenagear o «Senhor Delta».
O seu legado social levou a CNIS e a UDIPSS Portalegre a homenagear o empresário, colocando uma coroa de flores junto à estátua em Campo Maior, numa cerimónia que contou com a participação do filho João Manuel Nabeiro, do edil Rui Rosinha, de muitos dirigentes de instituições locais e de várias crianças e idosos utentes das respostas sociais das IPSS locais.
Esse legado ficou inscrito na passagem da Chama por Degolados, uma localidade às portas de Campo Maior, o Centro de Dia e Lar Nossa Senhora da Graça, instituição de que Rui Nabeiro foi fundador e sócio honorário.
Estava a Chama a caminho de Arronches, última paragem da terceira jornada que ocupou toda esta quarta-feira.
Ali, a receção ao símbolo do espírito solidário das IPSS portuguesas foi, talvez, a mais entusiástica até ao momento. Com a GNR a abrir caminho, transportada pelos Bombeiros Voluntários de Arronches e escoltada por um numeroso grupo de motards muito peculiar, a Chama da Solidariedade foi recebida em frente à Câmara Municipal de Arronches por muitos representantes de todas as cinco IPSS do concelho, mas também muitos populares que se juntaram à festa, que foi animada, não só pela Fanfarra dos Bombeiros, que depois escoltou a partida da flama solidária, mas também pelo Grupo de Pedrinhas de Arronches.
João Crespo, presidente da autarquia, começou por dizer que “Arronches é um concelho solidário e sempre disponível e isto é feito pelas nossas cinco IPSS”, deixando um agradecimento a todas, “em especial, aos dirigentes voluntários e aos trabalhadores, que o fazem sempre com grandes dificuldades financeiras”.
Esta quinta-feira, a Chama da Solidariedade começa a quarta etapa da Volta ao Portalegre Solidário em Gavião, segue por Nisa e termina no Crato.
Devido às previsões de chuva para sábado, a realização da XVI Festa da Solidariedade sofreu uma alteração de local, deixando de ser no Jardim da Avenida da Liberdade, passando para o auditório da Câmara Municipal de Portalegre.

 

Data de introdução: 2023-10-11



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...