FAMALICÃO - CANDIDATURAS AO “PARES” ENVOLVEM 17 INSTITUIÇÕES

Projectos sociais totalizam 10,2 milhões de euros

Um total de 17 instituições de solidariedade social do concelho de Vila Nova de Famalicão decidiram apresentar outras tantas candidaturas ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), promovido pelo Ministério do Trabalho e da Segurança Social, prevendo um financiamento público global no valor de 10,2 milhões de euros (2,4 milhões de contos).

As 17 candidaturas, todas direccionadas para a criação ou melhoria da rede de infra-estruturas sociais no município, receberam um parecer favorável do Conselho Local de Acção Social (CLAS) de Vila Nova de Famalicão, organismo que é presidido pelo presidente da Câmara Municipal, Armindo Costa.

De acordo com Armindo Costa, “os 17 projectos apresentados visam colmatar diversas carências sociais sentidas no concelho”. “Através do excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Rede Social de Famalicão, foi feito um levantamento das principais necessidades do concelho, nesta área, sendo que estas candidaturas vão exactamente no sentido de resolver esses problemas detectados”, explicou o autarca, frisando que os projectos em causa “vão de encontro à política de acção social encetada pelo município”.

Das diversas propostas apresentadas ao programa PARES destacam-se a criação de novas valências como creches, lares de idosos, centros de dia, lares residenciais para deficientes, entre outros, e serviços como apoio domiciliário e pré-escolar. Ao todo, os projectos apresentados apontam para a criação de 385 novos postos de trabalho, nas várias freguesias envolvidas.
“Apoiar os jovens casais famalicenses e as suas crianças, aumentando o número de lugares em creches; aumentar o número de lugares em centros de dia e lares, e reforçar os serviços de apoio domiciliário, permitindo a permanência de idosos em suas casas, com maior autonomia e mais qualidade de vida; incrementar a integração social, aumentando a rede de respostas residenciais e de centros de actividades ocupacionais para pessoas com deficiência”, são, de acordo com o edil famalicense, os principais objectivos das candidaturas apresentadas.

As 17 instituições de Vila Nova de Famalicão que apresentaram os seus projectos são as seguintes: Santa Casa da Misericórdia de Famalicão; Centro Social e Cultural de S. Pedro de Bairro; Centro Social e Paroquial de S. Martinho de Brufe; Infantário da Escola Preparatória Júlio Brandão (Famalicão); Centro Social e Cultural Dr. Nuno Simões (Calendário); Bem-me-Quer - Instituição de Solidariedade (Delães); Mais Plural - Cooperativa de Solidariedade Social de Apoio a Crianças e Idosos (Gavião); Associação Cultural, Beneficente e Desportiva dos Trabalhadores do Município (Famalicão); Associação Teatro Construção (Joane); Creche e Jardim Infantil Dona Elzira Cupertino de Miranda (Louro); Mundos de Vida - Associação para a Educação e Solidariedade (Lousado); Centro Social e Paroquial de S. Martinho de Pousada de Saramagos; Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Seide; Centro Social e Paroquial de Vale S. Cosme; Centro Social e Paroquial de Vermoim e ACIP – Ave Cooperativa de Intervenção Psico-Social (Joane).

 

Data de introdução: 2006-08-01



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...