ELEIÇÕES

José António Carreiro reeleito para a URIPSS-Algarve

No dia 20 de Janeiro, nas instalações do Jardim-de-infância do Centro de Acção Social do CASCD de Faro, decorreu o acto eleitoral para os Corpos Gerentes da URIPSS-Algarve para o triénio 2007-2009. Ao acto eleitoral seguiu-se imediatamente a tomada de posse dos novos órgãos sociais.

Tendo como seu mandatário Luís Vilas Boas, apresentou-se uma só lista a sufrágio.
Compõem os órgãos sociais da União Regional do Algarve:

Assembleia-geral
Presidente – José Manuel Monteiro Correia (Casa Nª Sr.ª da Conceição – Portimão)
1.º Secretário – Prof. José Manuel do Carmo Campos (NE Criança Inadaptada – Lagos)
2.º Secretário – José Maria Carvalho Bernardo (C S P C Cristã São Luís – Faro)

Direcção
Presidente – José António Carreiro (CA Social Lucinda Anino dos Santos - Lagos)
Vice-Presidente – António da Conceição C. M. Barão (I D Francisco Gomes – Faro)
Secretário – José Apolinário Fernandes (CASCDT Saúde e Segurança Social - Faro)
Tesoureiro – Eng.º Jorge Manuel Faísca Renda (A Social e Cultural de Tôr – Loulé)
Vogal – António Justo Lima Mendes (A Reformados, Pensionistas e Idosos de Faro)
1.º Vogal Suplente – Almerindo Fantasia de Sousa (Casa de Santa Isabel – Faro)
2.º Vogal Suplente – Liliana Jacinto Rodrigues (Castelo de Sonhos – Silves)

Conselho Fiscal
Presidente – Dr. José Alberto F. Santos Pereira (A Oncológica do Algarve – Faro)
1.º Vogal – Dr. José da Silva Marques (Fundação Irene Rolo – Tavira)
2.º Vogal – Dr.ª Eliane da Rocha Cruz (AAPA Crianças Diminuídas Mentais – Faro)

 

Data de introdução: 2007-01-27



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...