2º CONGRESSO DA HUMANITAS

Manuel Domingos eleito presidente da direcção

No dia 21 de Abril, em Fátima, decorreu o 2º Congresso da Humanitas (Federação Portuguesa para a Deficiência Mental, filiada na CNIS, com sede na Praça de Londres, em Lisboa), com eleição de órgãos sociais. Manuel Domingos (APPACDM de Viana do Castelo )foi eleito presidente da direcção.

Ficaram assim constituídos os órgãos sociais da Humanitas:

Conselho Geral / Congresso
Presidente – Maria Josefina de Nápoles Pinto Bazenga (APPACDM do Porto)
Vice-Presidente – Mário José Santos Matos (APPACDM de Lisboa)
Secretária – Maria de Lurdes Borges Póvoa Pombo Costa (APPACDM de Castelo Branco)
Secretária – Narcisa Ferreira de Castro Magalhães (APPACDM de Mirandela)
Secretário – Fernando Augusto Pereira dos Santos (APPACDM de Viseu)
Suplente -Fernanda Maria Albuquerque Ribeiro de Almeida (APPACDM de V. Castelo)

Conselho Fiscal e Jurisdicional
Presidente – Mário Augusto de Oliveira Dias (APPACDM de Vila Nova de Gaia)
Vogal – Ant6nio José Rocha Dias (APPACDM de Aveiro)
Vogal – António João Pedroso de Lima (APPACDM de Vila Nova de Poiares)
Suplente – Ana Cristina de Sousa Ferreira da Silva Dinis (APPACDM de V. N. Poiares)

Direcção
Presidente – Manuel Domingos Cunha da Silva (APPACDM de Viana do Castelo)
Vice-Presidente – João Carlos Gomes Dias (APPACDM de Lisboa)
Secretário – Luís Filipe Rodrigues (CEERIA de Alcobaça)
Tesoureiro – Luís Manuel Dias Correia (APPACDM de Vila Real Sabrosa)
Vogal – Silvino Luís das Neves Costa (APPACDM de Évora)
Vogal – José Maria da Silva Salazar (APPACDM de Setúbal)
Vogal – Luís Filipe Rodrigues Agostinho (APPACDM da Marinha Grande)
Suplentes – Maria Teresa Nascimento Silva Morgado (APPACDM de Lisboa)
Alexandre Manuel A. Faria (APPACDM do Porto)
António Maria Martins de Melo (APPACDM de Braga)

 

Data de introdução: 2007-05-07



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...