LAR FAMILIAR DA TRANQUILIDADE ORGANIZOU MAIS UM ENCONTRO INTERINSTITUIÇÕES

Sardinhada e marchas populares com 500 idosos

Cerca de quinhentos idosos de treze instituições sociais do Norte do país protagonizaram um dia de convívio ímpar onde a alegria e a boa disposição foram a nota dominante.
A organização, como tem sido hábito, foi do Lar Familiar da Tranquilidade de Vila das Aves. O Encontro Interinstituições vai na 13ª edição e é um dos eventos marcantes na vida deste lar, que acolhe cerca de uma centena de utentes, entre as valências de Lar de Idosos, Centro de Dia e Apoio Domiciliário – pretendendo promover o convívio entre os idosos de diferentes instituições da região.

Os cerca de 500 convivas foram chegando ao longo da manhã e perto do meio-dia entraram em acção os cozinheiros e os assadores, que grelharam cerca de 1.600 sardinhas, oferecidas pelo utente do Lar Familiar da Tranquilidade, Manuel Coelho, devidamente reconhecido na tarde recreativa.

Depois de saciados com a sardinhada, a tarde foi preenchida com as tradicionais Marchas Populares protagonizadas por cada instituição presente. Músicas alusivas aos santos que marcam os festejos deste mês de Junho, arcos coloridos e vestes a condizer inundaram de cor e alegria o Lar Familiar da Tranquilidade.
A maioria das músicas, das coreografias, dos trajes e dos arcos foram preparados, previamente, em cada instituição pelos utentes e foram exibidos neste dia de convívio. Todos se esmeraram e trouxeram à Vila das Aves marchas com qualidade assinalável. Todos os representantes das instituições puderam usar da palavra e elogiaram a organização da iniciativa.

“Esta é uma festa de que os nossos utentes falam todo o ano e ficam ansiosos por voltar”, evidenciou Ilda Meireles, da Misericórdia de Santo Tirso. Na mesma linha, Joana Ramalho, da Misericórdia de Felgueiras, apontou o parque verde do Lar como um local “onde nos sentimos bem”, revelando ainda que “os idosos estavam muito felizes.

É uma festa “elegante, graciosa e popular”, caracterizou Maria das Dores, do Centro Social Paroquial Padre Ramos (Lavra). “Adoramos o passeio e convívio”, vincou Cátia Fonseca, da Misericórdia de Penafiel, ao passo que António Santos, da congénere de Valongo deu os “parabéns à organização que é excelente”
A fechar a festa entrou em cena a marcha anfitriã do Lar Familiar do Tranquilidade. O presidente da instituição, o Padre Fernando Azevedo Abreu lembrou a realização desta iniciativa há 13 anos, vincando que é algo “excelente para a alegria dos utentes, sobretudo para os mais dependentes”.

 

Data de introdução: 2008-06-23



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.