Copos – quem decide és tu - já abrangeu mais de 6 mil jovens

“Copos – quem decide és tu” é um projecto de prevenção do consumo abusivo de álcool destinado a jovens dos 14 aos 20 anos de idade e desenvolvido pela Juventude Cruz Vermelha com a supervisão técnica do Instituto da Droga e da Toxicodependência.

Os objectivos principais deste projecto são, precisamente, a sensibilização para os riscos do consumo excessivo de álcool e a promoção de uma cultura de consumo responsável entre as populações jovens, sendo o meio escolar o espaço priveligiado da intervenção. Iniciadas em 2007, as respectivas acções de divulgação já chegaram a cerca de 6.000 jovens em todo o território nacional.

No sentido de divulgar o projecto, cuja edição de 2008/2009 já arrancou, a Cruz Vermelha Portuguesa e o Instituto da Droga e da Toxicodependência realizarão no próximo dia 20 de Outubro, no Palácio dos Condes d’Óbidos, em Lisboa, uma sessão informativa com a participação dos representantes da Direcção Geral da Inovação e do Desenvolvimento Curricular, do Instituto da Droga e da Toxicodependência e da Cruz Vermelha Portuguesa.
Para além da apresentação técnica e institucional deste projecto, serão revelados os dados recolhidos e as conclusões de um estudo associado à edição de 2007/2008 do mesmo acerca dos níveis de informação dos jovens portugueses em matéria de consumos de álcool e respectivos riscos.

 

Data de introdução: 2008-10-19



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...