F3M REGRESSA COM AÇÕES DE CAPACITAÇÃO PARA AS ENTIDADES DO SETOR NÃO LUCRATIVO

Instituições de Braga recebem formação sobre Sistema de Normalização Contabilística

É já hoje, dia 19 de Setembro, segunda-feira, que a F3M arranca com as sessões de capacitação sobre o Sistema de Normalização Contabilística para as entidades do sector não lucrativo (SNC-ESNL). A acção realiza-se às 09h00, no Meliá Braga Hotel & Spa, e terá a duração de oito horas. A segunda fase do projecto que a empresa bracarense está a levar a cabo no âmbito do novo sistema inclui agora uma componente de formação específica, esclarecimento de dúvidas, bem como a apresentação de casos práticos sobre o tema. Na primeira edição, que decorreu durante os meses de Junho e Julho em seis cidades do país, a tecnológica promoveu acções de sensibilização e de esclarecimento sobre o SNC-ESNL, onde participaram cerca de 600 pessoas.

Além de Braga, também o Porto, Coimbra, Lisboa, Santarém e Faro vão acolher a iniciativa da F3M. A formação será uma mais-valia na preparação do exercício das atividades contabilísticas e de gestão sobre o novo sistema, que entra em vigor a partir 01 de janeiro de 2012. As sessões serão novamente conduzidas por Mário Guimarães, revisor oficial de contas e com uma vasta experiência na área da Economia Social, bem como no processo de transição para o SNC nas empresas.

A segunda edição vem assim reforçar a informação sobre o tema, depois das ações de sensibilização que a F3M realizou na primeira fase, com o objetivo de preparar e esclarecer sobre as transformações profundas na organização e gestão das IPSS, Misericórdias, Mutualistas e Coletividades.

De referir que o Decreto-Lei nº 36-A/2011, publicado a 9 de março, contempla a aprovação do Sistema de Normalização Contabilística para as entidades do setor não lucrativo, obrigando-as a apresentar contas à tutela.

Enquanto fornecedor líder de software específico para o setor social, uma vez mais a F3M antecipa a realidade e aborda um tema crucial para as entidades da Economia Social. Por outro lado, participa ativamente na sensibilização e informação das entidades do terceiro setor para o SNC-ESNL.

 

Data de introdução: 2011-09-19



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...