ASSOCIAÇÃO 2000 DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO

A2000 é microprodutora de energia solar fotovoltaica

No passado mês de Julho, a Associação 2000 de Apoio ao Desenvolvimento - A2000 arrancou com a produção de energia eléctrica através da instalação de duas centrais fotovoltaicas de potência unitária a cinco kWh, sitas nas antigas Escolas EB1 de Concieiro e Banduge, cedidas à A2000 pelos respectivos protocolos celebrados com o Município de Santa Marta de Penaguião.

A contratualização do serviço foi celebrada com a EDP Serviço Universal, S.A., ao abrigo do Decreto-Lei n.º 363/2007 de 2 de Novembro, e com a DST Solar, S.A. foi efectuado um contrato de financiamento para a instalação das duas unidades, sendo os custos de ligação da instalação de microprodução, bem como o respectivo contador de venda de energia totalmente suportado por esta última empresa.

A instalação de microprodução de energia solar fotovoltaica, registada no Sistema de Registo de Microprodução (SRM), respeitou as regras técnicas em vigor, sendo-lhe emitido um certificado de conformidade de Exploração pela Associação Certificadora de Instalações Eléctricas - CERTIEL.

Com a produção de energia solar fotovoltaica, a A2000 angariará um montante de cerca de mil e setecentos euros líquidos anuais, pelas duas unidades, pelo período de quinze anos.
A energia solar fotovoltaica é uma fonte de energia renovável obtida pela conversão de energia luminosa em energia elétrica, destacando-se pela quase total ausência de poluição. Além disso, não produz cheiros ou ruídos, tem baixos custos de manutenção e não consome nenhum combustível. Por essas razões, pode ser utilizada em inúmeras aplicações.

Apostar na microgeração de energia no nosso país é um dos desafios que se colocam. A A2000, preocupada com as questões ambientais, decidiu então gerar energia através de uma fonte renovável, contribuindo assim para uma sociedade mais amiga do ambiente.

 

Data de introdução: 2011-09-20



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...