SEGURANÇA SOCIAL

Linha de 50 milhões de euros para 100 IPSS em situação difícil disponível em Março

O secretário de Estado da Segurança Social anunciou a disponibilização já em Março de uma linha de apoio de 50 milhões de euros para uma centena de Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) em situação difícil. "Por alguns investimentos feitos nos últimos anos, em que tinham expectativas mais elevadas de comparticipações do Estado que depois näo se verificaram, muitas IPSS estão em situação difícil", afirmou, em Viana do Castelo, Marco António Costa.

O governante acrescentou que o modelo de protocolo a realizar com estas instituições começou "esta semana" a ser elaborado, entre a tutela da Solidariedade e Segurança Social e os representantes das IPSS. "Já temos as instituições bancárias a apresentarem propostas para obter as melhores condições para esta linha de crédito. Estamos a operacionalizar tudo para que durante o mês de Março se possa avançar", garantiu ainda.

Este apoio servirá para a "viabilização financeira" das instituições "que se encontram em dificuldades", mas, garantiu Marco António Costa, não será para dar dinheiro. "Terá subjacente um plano de recuperação e viabilização financeira das instituições. Ou seja, retirando as instituições da situação de dificuldade e resolvendo o problema de fundo, criando condições de estabilidade para o futuro", acrescentou.

Marco António Costa admitiu que cerca de uma centena de instituições sociais deverão recorrer a esta linha de apoio. "Mas, repito, não será uma linha para despejar dinheiro em cima dos problemas e sim para planear e apoiar as instituições. Não numa lógica impositiva, fiscalizadora e tutelar, mas de parceria", rematou o governante.

 

Data de introdução: 2012-01-30



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...