IMIGRAÇÃO

Governo quer imigração com melhor imagem

O Governo vai lançar nos próximos meses uma campanha de sensibilização para que a opinião pública portuguesa tenha uma visão positiva da imigração, anunciou o secretário de Estado adjunto do ministro da Presidência.

"A campanha, que ainda está a ser elaborada, pretende sensibilizar os portugueses para que tenham uma visão positiva da imigração e para que comecem a mentalizar-se para a importância dos imigrantes", disse Feliciano Barreiras Duarte.

De acordo com o secretário de Estado, a campanha também irá mostrar um conjunto de trabalhos desenvolvidos pelo Governo no sentido de informar "os imigrantes dos instrumentos que têm ao dispor para resolver alguns dos seus problemas". Como exemplo, referiu que na iniciativa serão divulgados os Centros Nacionais de Apoio ao Imigrante e a linha telefónica SOS Imigrante.

Feliciano Barreiras Duarte, que representou Portugal na primeira reunião ministerial da União Europeia da Integração, que terminou hoje na cidade holandesa de Groningen, adiantou que a campanha, que será veiculada nos órgãos de comunicação social, tem como destinatários os cidadãos nacionais e os imigrantes a viver no país.

Segundo o membro do Governo português, há necessidade da União Europeia adoptar uma política global de integração, mas ainda existem países, como Alemanha, que defendem que deve ser cada estado-membro a tratar dos seus problemas da imigração.

"Portugal defende que dever ser a UE a dar o seu contributo e a criar fundos específicos para ajudar os estados-membros a resolverem as questões da imigração", afirmou. Por outro lado, acrescentou que a maioria dos 25 apresentou como soluções para a integração a aprendizagem da língua dos países de acolhimento e o combate à imigração ilegal.

Barreiras Duarte sublinhou que o combate à imigração ilegal poderá ser feito através de políticas concertadas entre os vários países. Na reunião foi ainda referido que muitos dos problemas da integração poderão ser resolvidos através de políticas destinadas à juventude.

"Devido à importância desta questão, em próximas reuniões ministeriais da Integração será discutida a importância dos filhos e dos netos dos imigrantes", disse o secretário de Estado.

Destacando as políticas desenvolvidas em Portugal para as segundas gerações, como o programa "Escolhas - 2¦ Geração", Barreiras Duarte sublinhou que a integração dos jovens imigrantes passa por programas de formação profissional, incentivos para frequentarem escolas e pela aprendizagem da língua e da cultura dos países de acolhimento sem abandonarem as suas raízes. Realçou ainda à Lusa o facto da maioria dos 25 estados-membros considerar Portugal como um país "progressista" em políticas de integração no âmbito da UE.

 

Data de introdução: 2004-11-16



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...