PADRE JOSÉ MAIA

JUBILEU EXTRAORDINÁRIO DA MISERICÓRDIA (1)

MISERICÓRDIA: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa.

Muito se tem dito e escrito sobre o “estado desumano” em que se encontra a Humanidade!

Apesar de haver sinais de esperança e motivos de satisfação por muitas conquistas científicas e tecnológicas que trazem respostas animadoras para problemas que julgávamos insolúveis, ao nível, por exemplo, da saúde, do meio ambiente, de uma maior consciência sobre a perceção do Mundo como uma Casa Comum que TODOS temos de cuidar para se tornar habitável, a verdade é que pairam sobre a Humanidade sombras e ameaças que reclamam uma ação conjunta da RAZÃO e do CORAÇÃO!

O Papa Francisco, assumindo a sua responsabilidade de líder da Igreja Católica e numa ação partilhada com outros líderes religiosos e políticos, veio convocar-nos a TODOS, com urgência e veemência, para o papel da MISERICÓRDIA no estabelecimento de uma nova ordem internacional nas relações entre os Povos, mormente através de uma denúncia, sem papas na língua, do poder económico e financeiro que estão a tomar de assalto, através dos famigerados mercados, o poder político, para subjugarem milhões e milhões de cidadãos indefesos, atirando-os para a valeta de novas escravaturas em pleno século xx1!

No dizer do Papa Francisco, “ a misericórdia é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que se encontra no caminho da vida”.

Que bom seria que o ano de 2016 pudesse vir a constar na História como um marco transformador na governação dos Povos e nas relações pessoais, através da valorização da MISERICÓRDIA como princípio orientador das relações fraternas que todos queremos ver concretizadas no CONVIVIO HUMANO! É utopia? Sim. Poderá ser profecia? Talvez!

 

Pe. José Maia

 

Data de introdução: 2015-07-12



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...