OBRA INAUGURADA PELO MINISTRO VIEIRA DA SILVA

Borda do Campo já tem Centro de Noite

O Conselho de Moradores da Borda do Campo acaba de inaugurar um Centro de Noite, infra-estrutura que demorou um ano a construir, representando um investimento de 270 mil euros.
O Centro, com capacidade para 16 utentes, vem suprir uma carência há muito sentida na localidade, tendo contado com uma comparticipação do Estado no valor de 150 mil euros. Os restantes 120 mil euros foram obtidos através de empréstimo.
A utilidade da obra foi reconhecida pelo Ministro do Trabalho e da Solidariedade. Vieira da Silva presidiu à inauguração das instalações, tendo enaltecido a obra desenvolvida pela IPSS sedeada no concelho da Figueira da Foz.

O governante salientou não encontrar, nas várias deslocações que vai efectuando pelo país “muitas instituições que tenham tido a capacidade de, passo a passo, ir construindo um complexo tão importante quanto este”.
O titular da pasta da solidariedade enalteceu ainda a “visão de conjunto” dos dirigentes daquela IPSS, apostando em valências que vão da primeira infância à terceira idade. Antropomorfizando o percurso da instituição, Vieira da Silva notou o facto de esta, ao crescer, ir acompanhando também o crescimento do ser humano e as necessidades por este sentidas.
O Conselho de Moradores de Borda do Campo é já o principal empregador de uma freguesia que se localiza a mais de duas dezenas de quilómetros da sede do concelho. Com a abertura do Centro de Noite, a IPSS passa a prestar serviços sociais a 256 utentes, empregando quarenta funcionários.
65 utentes servidos pelo apoio domiciliário, onze das quais acamadas; 47 utilizando o Centro de Dia, com 128 crianças a frequentarem as valências de creche e ATL. A frota da instituição já vai nas sete carrinhas, necessárias para a entrega de refeições e prestação dos serviços de higiene e limpeza aos beneficiários e às habitações onde vivem.

Criado em 1979 para conseguir que o posto médico não saísse da freguesia, o Conselho de Moradores da Borda do Campo foi crescendo de forma sustentada, atingindo hoje uma dimensão de relevo na área da solidariedade social.
José Gonçalves, presidente da IPSS, garante que a instituição não vai parar por aqui. Um lar para a terceira idade é a obra que se segue, tratando-se posteriormente de edificar instalações para a direcção.
Temendo o pior, atendendo ao que se vai passando pelo país, com o encerramento de várias unidades de saúde, José Gonçalves aproveitou a presença de um membro do governo liderado por José Sócrates para “exigir” que a extensão de saúde que esteve na génese da criação da IPSS não seja encerrada. Razão avançada: as dificuldades de deslocação da população mais idosa, que teria que passar a ser atendida em Paião.
Vieira da Silva prometeu empenho, comprometendo-se a trabalhar em conjunto com os dirigentes da IPSS para um maior apoio, acompanhando o esforço que reconheceu aos que vão mantendo acesa, todos os dias, a chama da solidariedade, da ajuda aos mais desfavorecidos.
Diga-se, a concluir, que a inauguração do Centro de Noite contou com a presença de diversas individualidades do concelho e do distrito, tendo as instalações sido abençoadas pelo pároco Manuel da Silva. O prelado benzeu também uma nova carrinha, no valor de 22 mil euros.

 

Data de introdução: 2006-11-12



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...