ODPS

Bispo do Porto preside a Jantar de Beneficência

A Obra Diocesana de Promoção Social (ODPS) organizou o seu primeiro Jantar de Beneficência, através da Liga de Amigos da ODPS, surgida em inícios de 2006 e encabeçada por Adão Oliveira, Fernando Moreno, Gisélia Ribeiro e Jorge Magalhães. Tal evento aconteceu a 24 de Maio, no Porto Palácio Hotel, sob presidência do Bispo do Porto, D. Manuel Clemente, sempre acompanhado pelo Presidente da ODPS, Américo Ribeiro.
O Chefe Hélio Loureiro foi o anfitrião desta iniciativa, tendo confeccionado num espaço muito acolhedor, um menu bastante agradável. Entre os convidados destacavam-se algumas ilustres personalidades e entidades, não só da Invicta, mas de abrangência nacional: Albertina Amorim, António Ribeiro Soares Artur Santos Silva, Augusto Lopes Cardoso, Carlos de Brito, César de Pina, Daniel Serrão, Delfim Sousa, Irene Vilar, Isabel Oneto, Jardim Moreira, Lino Maia, Manuel de Oliveira Marques, Manuel dos Santos Lemos, Maria Augusta Osório de Castro dos Santos Lemos, Maria de Belém Roseira, Miguel Lemos, Salvato Trigo, Walter Osswald e Wilson Faria.
Impossibilitados de estarem presentes fisicamente, alguns Cronistas da Revista da ODPS, “Espaço Solidário” (António Bagão Félix, Marcelo Rebelo de Sousa, Maria Barroso Soares e Fernando Santos), quiseram demonstrar uma presença espiritual, através de mensagens enviadas e lidas publicamente, de apreço ao novo Bispo Portucalense, ao Conselho de Administração e à Obra em geral. Para além de todos estes, alegraram-nos com a sua presença os membros actuais e alguns antigos da Administração, Direcção e Conselho Fiscal da ODPS, assim como 50 Colaboradores da ODPS, aqueles que lidam diariamente com este lema essencial de “PESSOAS A SENTIREM PESSOAS”.
Com tudo isto, já se constata que, efectivamente, o êxito previsto do Jantar, às portas da lotação esgotada (cerca de 390 pessoas), foi garantido no seu desenrolar e sentido nas palavras do Patrono (D. Manuel) e do Presidente da ODPS e nas expressões generalizadas de entusiasmo de muitos novos amigos e apoiantes da ODPS.
Nas intervenções finais, o Presidente Américo Ribeiro lembrou a missão da ODPS. Ela “desenvolve uma acção constante, responsável, sensível e determinada no que concerne à construção de uma comunidade/sociedade mais igualitária no rumo para uma vida mais digna, mais justa e mais interessante. (…) A OBRA DIOCESANA, aí está, atenta e solícita, exercendo a sua intervenção: debela, sublima, colmata insuficiências, abre perspectivas, dá conforto e esperança, leva sol aos corações… confirma proficiência, imbuída de um clima de humanização e de solidariedade”.
No que toca ao Prelado diocesano, referiu que a Sociedade e a Sociabilidade em si é algo que se promove. “Começou por ser para todos nós uma herança, mas é agora uma promoção, um encargo. E esta maneira de estar é própria da Obra Diocesana, em qualquer lugar e no Porto, onde mais precisa de ser promovida e garantida humanamente no futuro”.
No convívio à volta da mesa, condimentado pelo belo e bom banquete da solidariedade e da fraternidade, não faltaram três momentos distintos de animação musical para vincar este espírito de júbilo e musicalidade sempre firmes ao longo da noite. Agraciaram-nos com os seus acordes: o Grupo de Fados e Guitarradas da Universidade Católica Portuguesa – Porto; o amigo da ODPS, Roberto Leão (voz e viola); e o Grupo FIDES – Orfeão de Valbom, à capela, dirigido pela maestrina Maria José Jalôto.

Texto e Fotos - André Rubim Rangel

 

Data de introdução: 2007-06-04



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...