FAMALICÃO

Teatro Construção vai construir unidade de cuidados continuados para 40 utentes

A Associação Teatro Construção (ATC), com sede em Joane, Famalicão, anunciou que tenciona investir cerca de cinco milhões de euros na construção de uma unidade hospitalar de cuidados continuados, com 32 camas e capacidade para acolher até 40 utentes. Esta companhia teatral presta serviços de ordem social, desde 1982, dispondo já de uma creche, jardim-de-infância e ATL, bem como de uma residência e centro de dia para idosos.

Segundo o presidente da Associação Teatro Construção, Custódio Oliveira, foi a "experiência quotidiana" que fez a ATC avançar, já em 2006, com a ideia de implementar um equipamento de cuidados continuados para dar resposta às muitas solicitações. "Como âncora para o financiamento", sustenta Custódio Oliveira, a unidade de saúde vai dispor também de uma farmácia aberta ao público, fisioterapia, telemedicina, consultórios médicos e ainda cozinha e lavandaria para servir toda a instituição.

A IPSS, com cerca de 400 utentes, espera que o Governo contribua para este projecto com um financiamento equivalente a "60 por cento do total", até porque a maioria das camas previstas para a unidade "serão protocoladas" com a rede nacional de cuidados, anunciada pelo ministro da Saúde em Abril de 2006.

O projecto recebeu um grande impulso com a assinatura, em Joane, Famalicão, da escritura de compra do terreno para a unidade hospitalar de cuidados continuados, localizado perto da sede da ATC. Na ocasião, foi igualmente assinado um contrato de financiamento, acordado já há um ano com Caixa Geral de Depósitos, para uma residência destinada a pessoas com deficiência.

A ATC acredita que pode lançar "ainda este ano" o concurso público para a construção da residência de cuidados continuados e também um centro de actividades ocupacionais, que têm um custo previsto de 700 mil euros. "Falta só que o Pares, Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais, aprove o financiamento requerido", afirma Custódio Oliveira.

Este programa foi lançado pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social em Março de 2006 e dele a ATC conta receber, segundo Custódio Oliveira, "mais de 400 mil euros".

Com uma crescente actividade na área social, a ATC festeja também a obtenção da certificação de qualidade da Casa de Giestais, que engloba serviços de apoio domiciliário, centro de dia e lar de idosos. "Somos das primeiras instituições do país, deste género, a conseguir a certificação", garante Custódio Oliveira.


13.09.2007

 

Data de introdução: 2007-09-13



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...