Banco Alimentar Contra a Fome abre portas em Braga

O Banco Alimentar Contra a Fome iniciou as suas actividades em Braga, precisamente no dia em que se assinalava o Dia Mundial da Alimentação.

As novas instalações vão permitir exercer a actividade nos concelhos de Braga, Vila Verde, Amares, Terras de Bouro, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Fafe, Guimarães, Vizela, Vila Nova de Famalicão, Barcelos e Esposende e ajudar, inicialmente, 30 instituições, que entregarão os produtos a mais de 2.200 pessoas comprovadamente carenciadas, através de refeições ou da entrega de cabazes alimentares.

As instalações do armazém do Banco Alimentar situa-se na Rua da Confeiteira, Pavilhão 6, Palmeira, Braga.
Este é o 14º Banco Alimentar em Portugal.

Os Bancos Alimentares são Instituições Particulares de Solidariedade Social que lutam contra o desperdício de produtos alimentares encaminhando-os para distribuição gratuita às pessoas carenciadas.
O trabalho resulta da coordenação entre empresas da indústria agro-alimentar que doam produtos, doadores financeiros, voluntários que oferecem o seu trabalho e instituições de solidariedade social que recebem e entregam os produtos a pessoas carenciadas. O último balanço indicava que 232 mil pessoas comprovadamente necessitadas eram ajudadas através de 1542 instituições de solidariedade social.
O Banco Alimentar Contra a Fome promove campanhas de recolha de alimentos em supermercados. A próxima está agendada para os dias 29 e 30 de Novembro. Estas acções representam a maior acção de voluntariado organizada em Portugal.

FONTE: ECCLESIA

 

Data de introdução: 2008-10-19



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...