SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

Teleassistência ajuda a combater solidão dos idosos

Quatro instituições de Santa Marta de Penaguião estão a pôr em prática um serviço de teleassistência no concelho, distribuindo aparelhos que possibilitam o contacto directo entre idosos que vivem isolados e serviços de emergência médica ou segurança.
O serviço "Idosos em Segurança" visa combater o isolamento dos mais velhos e envolve as instituições particulares de solidariedade social (IPSS): Centro Social e Paroquial de São Miguel de Lobrigos, Fundação Doutor Carneiro Mesquita, Centro Paroquial e Social de Santa Eulália e Fundação Luís Vicente de Lobrigos.  
"Este é um concelho muito envelhecido e onde muitos idosos vivem sozinhos ou isolados", afirmou a directora técnica do Centro Paroquial de São Miguel de Lobrigos, Ana Gouveia. 
Foi para dar resposta às necessidades desta população que as instituições se juntaram e apresentaram uma candidatura ao projeto BPI Séniores 2013, que possibilitou a aquisição de 120 aparelhos móveis e fixos que estão a ser entregues aos interessados.
A teleassistência assegura uma vigilância permanente e consiste num serviço telefónico de apoio que permite à população mais idosa o contacto directo com os serviços de emergência médica ou de segurança. 
Ou seja, o pequeno dispositivo, que pode ter a forma de uma pendente ou relógio, possibilita ao utente pedir ajuda apenas com o premir de um botão, em casos de emergência (grave indisposição, queda, tentativa de roubo) ou até mesmo fazer chamadas para familiares ou para o Call Center da empresa TCare.
Neste serviço, que funciona 24 horas por dia, há sempre profissionais, desde enfermeiros, psicólogos ou gerontólogos, disponíveis para dar a resposta necessária a cada situação. 
Para aderirem ao programa, os idosos têm de pagar entre os 9,5 aos 12 euros por mês, dependendo do aparelho, verba que é destinada ao serviço do Call Center. Inês Pereira, da Fundação Luís Vicente de Lobrigos, referiu que o grande entrave na entrega dos equipamentos tem sido precisamente o factor monetário, visto que a maior parte dos idosos vive com pensões muito pequenas. "Começam logo a fazer contas à medicação, despesas e alimentação que têm que pagar todos os meses", salientou. No entanto, a responsável acredita que, conforme o serviço for sendo conhecido, haverá também mais utentes a aderir. 
Inês Pereira deu o exemplo de uma idosa que "ficou muito contente, acima de tudo, porque pode falar com o filho a qualquer hora, apenas por carregar num botão". 
A maior parte das chamadas que são feitas para o Call Center são precisamente para combater o isolamento, por necessidade de falar. 
Estas quatro IPSS de Santa Marta de Penaguião trabalham no apoio aos mais velhos, disponibilizando serviço de lar, centro de dia e apoio domiciliário.

 

Data de introdução: 2014-07-07



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...