CENTRO SOCIAL DE ERMESINDE

Disponível para acolher família de refugiados

O Centro Social de Ermesinde (CSE), no concelho de Valongo, mostrou disponibilidade para acolher uma família de refugiados e está a preparar o processo que inclui a disponibilização de uma casa, alimentação, vestuário e formação.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do CSE, Henrique Rodrigues, explicou que mesmo antes da Plataforma de Apoio aos Refugiados ter sido criada, a sua instituição já tinha apresentado esta disponibilidade à Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade (CNIS). "Reconhecemo-nos no tipo de intenção que a plataforma quer prestar e o CNIS sinalizou-nos de imediato por já termos demonstrado vontade e condições de acolher uma família. Estamos a preparar o processo em contacto e interligando com a comunidade local", disse Henrique Rodrigues.

O dirigente enumerou que o CSE está em condições de disponibilizar um apartamento autónomo, uma casa que está a ser alvo de melhoramentos para que esteja pronta a partir de outubro.

Através da sua cantina, que serve atualmente cerca de 600 refeições diárias, o CSE diz poder disponibilizar alimentação, ao que soma vestuário e formação. "Temos experiência com formação de adultos e formação profissional. E estamos a estabelecer contactos com escolas locais", descreveu Henrique Rodrigues enumerando as diligências feitas junto da escola secundária de Ermesinde para que possa prestar apoio na aprendizagem da língua e da cultura portuguesa, bem como outros estabelecimentos de ensino que possam ter vagas para acolher crianças com idade escolar.

O presidente do CSE contou que esta intenção já foi comunicada ao presidente da câmara de Valongo, José Manuel Ribeiro, em forma de "apelo": "O concelho talvez possa dar uma resposta mais ampla nesta situação", referiu.

A propósito deste tema, esta tarde, em reunião de câmara o presidente da autarquia referiu que solicitou que a rede social de Valongo, distrito do Porto, faça uma reunião para discutir este tema, uma ideia aplaudida pelos vereadores da oposição que apenas apelou a que o assunto seja trado dom "seriedade" e "sem demagogias". 

 

O CSE, que festejou este ano 60 anos de vida, presta apoio a mais de 600 utentes em valências como lar de idosos, apoio domiciliário, cantina social, jardim-de-infância e creche, entre outras.

 

Data de introdução: 2015-09-18



















editorial

ANO 2023: DIFÍCIL E DECISIVO

É com muitas dúvidas e algumas certezas que se perspetiva o ano agora iniciado, que poderá ser tão difícil quanto decisivo. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Novo Ano, novos e exigentes desafios para as IPSS
Antes de mais quero desejar, para 2023, todo o bem aos atuais e aos próximos Órgãos Sociais da CNIS, assim como a todas e todos que compõem a rede das IPSS, em Portugal. Ao...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

O significado de alguns dados do último recenseamento
Em cada dez anos o Instituto Nacional de Estatística responsabiliza-se por proceder à elaboração do Recenseamento Geral da População e do Recenseamento Geral da...