FUNDAÇÃO AFID, AMADORA

Maria Cristina Simões vence Prémio Dra. Maria Lutegarda

Maria Cristina Marques Ferreira Simões foi a grande vencedora da primeira edição do Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda, promovido pela Fundação AFID.
O primeiro Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda foi atribuído ao projeto «A Qualidade de Vida de Crianças e Jovens com Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental: Contributo para Educação Inclusiva», da autoria da investigadora Maria Cristina Marques Ferreira Simões.
“Concorri ao prémio mesmo para divulgar o que tenho feito nesta área, e a área é qualidade de vida, neste caso específico, de crianças e jovens com dificuldade intelectual, com dificuldades acrescidas”, afirmou a vencedora.
As duas menções honrosas foram também atribuídas a Lúcia Maria Neto Canha, pelo trabalho «Transição para a Vida Adulta no Contexto da Deficiência, Estudo das variáveis pessoais e sociais associadas a um processo de sucesso e desenvolvimento de um modelo de intervenção inclusivo», e Ana Sofia Pedrosa Gomes dos Santos, pelo trabalho «A investigação-ação no campo da Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental».
Esta é uma iniciativa pioneira, de periodicidade bienal, constituída por um prémio no valor de 8.000 euros e duas menções honrosas de 1.500 euros. O Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda tem como objetivo estimular e mobilizar para a criação e desenvolvimento de trabalhos de investigação e de inovação sobre a reabilitação junto de pessoas com deficiência.
A primeira edição teve 14 projetos de investigação a concurso, nos três graus de ensino superior público e privado (Licenciatura, Mestrado e Doutoramento), e contou com o Alto Patrocínio da Presidência da República e com os apoios da Fundação Montepio e da Câmara Municipal da Amadora.
Domingos Rosa, presidente da Fundação, quando questionado sobre a herança deixada por Maria Lutegarda, começou por dizer que a mesma “trouxe à nossa casa (AFID) a felicidade”, acrescentando: “Os nossos utentes são pessoas que se sentem bem dentro de casa e ela conseguiu introduzir essa cultura, quer da qualidade quer da felicidade, e são dois aspetos fundamentais numa organização desta natureza”.

 

Data de introdução: 2020-01-08



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...