GIVINGTUESDAY

Movimento mundial quer criar onda de generosidade em tempos de Covid-19

O movimento GivingTuesday volta na próxima terça-feira, com o objetivo de criar uma onda de generosidade, numa altura em que "a ajuda é, mais do que nunca, necessária", segundo a organização da iniciativa.

Realizada intencionalmente na primeira terça-feira após a BlackFriday e alimentada nas redes sociais pela 'hashtag' "#Givingtuesday", a iniciativa inspira milhões de pessoas em todo o mundo a participar em diversas causas, através da doação de dinheiro, bens ou tempo, sob a forma de voluntariado. 

A ideia do movimento é que cada um possa escolher o projeto social que deseja apoiar e a forma como pretende participar.

Esta edição, em Portugal, conta já com mais de 140 organizações sociais e é realizada em plena pandemia de Covid-19, circunstância que torna esta ação ainda mais urgente, sublinha, citada em comunicado enviado à Lusa, Sofia Mascarenhas, coordenadora do GivingTuesday em Portugal.

"Num contexto como o atual, de pandemia e crise social, o movimento é mais necessário do que nunca. O setor social, que viu aumentar drasticamente as pessoas que a ele recorrem, viu os seus apoios reduzidos e o 'gap' [fosso] tornou-se ainda maior. A solução tem, necessariamente, de passar por todos nós, sociedade civil", afirma Sofia Mascarenhas, apelando à participação.

A campanha deste ano, "Tu & Eu, juntos mudamos o mundo", assenta na ideia de que "as grandes mudanças podem começar num pequeno gesto, numa pequena ajuda", refere o comunicado.

"O GivingTuesday é a maior corrente de solidariedade do planeta e é grande porque é feito por milhões pequenas ajudas e de grandes gestos, por isso, no dia 1 de dezembro, ninguém deve ficar parado porque 'Tu e Eu', juntos, podemos mudar o mundo", expõe o documento.

Portugal entra pela segunda vez nesta iniciativa planetária, sendo que em 2019 contou com a participação de mais de 200 organizações sociais, que receberam o apoio de mais de 100 empresas e de muitas pessoas que doaram o equivalente a mais de 250 mil euros, em dinheiro, bens ou tempo dedicado às causas abrangidas pelo movimento.

O GivingTuesday começou em 2012, nos Estados Unidos da América, cofundado pelas Nações Unidas e pela 92StreetY, um centro cultural e comunitário sem fins lucrativos sediado em Nova Iorque.

Hoje, é uma organização autónoma que conta com o apoio da Fundação Bill & Melinda Gates.

Este movimento, que começou com a ideia de criar um dia para fazer o bem, está já presente oficialmente em mais de 60 países espalhados pelo globo e atividades em mais de 150.

Este ano, várias figuras públicas, como a ex-primeira-dama norte dos EUA Michelle Obama, o comediante norte-americano Jimmy Kimmel, e a Nobel da Paz Malala Yousafzair, associaram-se ao movimento e deixam apelos à participação dos cidadãos. 

 

Data de introdução: 2020-11-29



















editorial

Novos passos na Cooperação

Com a assunção por parte do Estado das comparticipações familiares das crianças do 1º e 2º escalão, já cerca de 50.000 crianças tinham Creche gratuita. Entretanto, a Lei nº 2/2022, de 3 de janeiro, determina...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

Trabalho digno
O governo apresentou no Parlamento um diploma que define um conjunto de novas regras para regular o mercado de trabalho e intitulou esse conjunto como a Agenda para o Trabalho Digno.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (IV)
Continuando na senda das reflexões anteriores, conheçamos, agora, o que pensa o Papa Francisco, na sua Carta Encíclica Fratelli Tutti, sobre a importância da política...