III CONGRESSO INTERNACIONAL DE GERIATRIA E SAÚDE MENTAL

Edição 2022 com abordagem privilegiada às questões das demências

O III Congresso Internacional de Geriatria e Saúde Mental está agendado para o dia 17 de junho, na Mealhada, e assenta nos mesmos princípios de diferenciação e de qualidade das edições anteriores.
Olhando ao programa, espera-se um dia muito produtivo, avaliando os palestrantes convidados.
Os trabalhos iniciam-se com o painel dedicado aos projetos internacionais, que conta com a participação de José Lage Caramelo, neuropsicólogo, especialidade em avaliação e reabilitação neuropsicológica, da Manava Alzheimer, de Madrid, Paula Álvarez Alegría, diretora e enfermeira especialista em geriatria, do Centro Especializado em Alzheimer e outras demências, da Fundación Rey Ardid, de Saragoça, e Alejandro Amezcua, neuropsicólogo, mestre em Psicologia General Sanitaria e em Neuropsicologia, do Centro Terapêutico para Alzheimer e Unidade da Memória de Réus, de Tarragona. Rosário Zincke dos Reis, vice-presidente da Associação Alzheimer Portugal, moderará o debate.
Ainda da parte da manhã, um segundo painel dedicado à investigação.
«A importância da Terapia da Reminiscência em adultos mais velhos com demência inicial a moderada», por Enrique Pérez Sáez, neuropsicólogo no CRE Alzheimer de Salamanca, «Função cognitiva no envelhecimento», por Telmo Pereira, vice-presidente da Direção da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, são os temas a abrodar, num painel moderado por João Apóstolo, da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra.
A «Estimulação cerebral não invasiva» é o tema do primeiro painel da parte da tarde, contando com as preleções «Tipologias e benefícios das técnicas de estimulação cerebral na demência», por Rui Neves, investigador e médico psiquiatra, «Estimulação Gama (tACS) na Doença de Alzheimer», por Lázaro Alvarez Gonzalez, médico neurologista e diretor-geral da Neurovida, e «Estimulação cerebral não invasiva no idoso: evidência de estudos básicos e translacionais», por Sandra Carvalho, investigadora e diretora do curso de Psicologia, na Universidade de Aveiro. A moderação do debate estará a cargo de Rodrigo Cunha, investigador e coordenador científico do MIA-Portugal.
No segundo e último painel do dia, o tema geral é «Outras Terapias Não Farmacológicas».
Nesta mesa redonda serão abordadas matérias como «Intervenção e efeito da estimulação cognitiva em pessoas com demência», por Sandra Freitas, investigadora e Professora de Neuropsicologia, na Universidade de Coimbra, «Intervenção e efeito da Arte-Terapia em pessoas com demência», por Vera Cruz, psicóloga clínica e arte-terapeuta, pela Sociedade Portuguesa de Arte-Terapia, e «Intervenção e o efeito da terapia de Snoezelen em pessoas com demência, por Amélia Martins, Doutorada em Psicologia Cognitiva, pela Universidade de Coimbra.
João Malva, investigador coordenador na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e coordenador do consórcio Ageing@Coimbra, é o moderador convidado.
As inscrições ainda estão abertas e podem ser feitas no site da Replicar Socialform, entidade organizadora.

 

Data de introdução: 2022-06-15



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...