ODPS – PORTO

Dia da Obra juntou mais de 3 mil pessoas no Pavilhão Rosa Mota

A Obra Diocesana de Promoção Social – Porto, celebrou o seu Dia, no dia 28 de Outubro, com comemorações festivas no Pavilhão Rosa Mota, ao longo de pouco mais de 4 horas de espectáculo e convívio. Motivos para celebrar: 42 anos ao serviço dos mais necessitados e carenciados da Cidade Invicta, reunindo a grande família da Obra. Mais de 3.000 pessoas estiveram presentes, com bastante entusiasmo e dinâmica, demonstrados nos rostos, na decoração colorida (azul e amarelo – as cores simbólicas da ODPS) do espaço e nas actividades realizadas.
Presentes estiveram, conforme fora anunciado, Matilde Alves (Vereadora da Acção Social da C. M. do Porto); D. António Carrilho (Bispo Auxiliar do Porto); P. Lino Maia (Presidente da CNIS); Teresa Branco (Directora da Fundação para o Desenvolvimento Social do Porto); Carla Marques (Centro Distrital da Segurança Social - Porto); Alberto Lima (Presidente da Junta de Freguesia de Lordelo do Ouro); José Moura (Presidente do Lar do Comércio); Paulo Morais e Chef Hélio Loureiro, para além de outros convidados e fornecedores da Obra. Os Professores Francisco Carvalho Guerra, Daniel Serrão e Eugénio da Fonseca fizeram-se sentir em espírito, fazendo chegar previamente as suas mensagens de estima e estímulo à Obra.
O Presidente do CA da ODPS, Américo Ribeiro, começou a sua intervenção de forma poética, sempre ponderado de bastante determinação e emoção nas palavras: “o Sol brilha lá fora, mas aqui dentro brilha o espírito de família: fortalecemos a amizade, salvamos a solidariedade, experimentamos a esperança, …”.
Ainda no início do encontro, registamos o testemunho pessoal que o Sr. Jorge Oliveira, tio-avô duma criança do Centro Social Rainha D. Leonor, deu a Rui Cunha, Tesoureiro do CA da ODPS: “louvo a iniciativa deste dia por todos e mais alguns motivos, mas principalmente por se juntar crianças e idosos nas mesmas actividades e jogos”. Complementaram-se, assim, a alegria mais jovial e a mais madura, em prole duma alegria sólida e duradoira de todos os presentes.
As novidades do Dia da Obra deste ano, na sua 2ª edição, recaíram na actuação estreia – a abrir o espectáculo, depois da Sessão inaugural – do Grupo Coral de Idosos, formado por vários Idosos dos Centros Sociais da Obra, com essa valência, assim como da participação do grupo jovem de Danças de Salão do Porto, para preencherem os ‘tempos mortos’, na transição dos vários números dos 12 Centros Sociais (danças, músicas, encenações, ginástica, mensagens).
Ainda Américo Ribeiro, antes de terminar, agradeceu a persistência e solidariedade de todos os que conseguiram ficar até ao fim (a grande maioria) e apelou à presença de todos os Colaboradores da Obra na Reunião Geral de 11 de Novembro, com início às 14h30, na Casa de Vilar. “Lanço este convite mesmo para os mais renitentes que não compareceram no ano passado, para que ao estarem sejam prova concreta da inserção nesta grande família que é a Obra e num espírito constante de serviço”.
A apresentação esteve exímia, a cargo do experiente Fernando Campos, locutor de rádio, que, sempre de sorriso e uma palavra generosa nos lábios, encerrou o evento desafiando os presentes: “sejam felizes e não se esqueçam da Obra Diocesana de Promoção Social!”.

André Rubim Rangel

 

Data de introdução: 2006-11-07



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...