CARTA ÀS INSTITUIÇÕES - JANEIRO 2007

SENHOR (ª) PRESIDENTE

Quando se desfolham as primeiras páginas do calendário de 2007, na esperança activa de um bom ano para todos quantos – dirigentes, voluntários e trabalhadores – fazem das Instituições as belas realidades sonhadas, a CNIS faz-se presente.

Na certeza de que, quando contacta, está a comunicar e, quando comunica, está a gerar comunhão dinâmica…


1. ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES (CATL’s)

No início do passado mês de Dezembro foi mandado o inquérito sobre os ATL’s a 2431 IPSS. Até ao momento, foram recebidas 688 respostas (28,30%). O distrito com a melhor percentagem de respostas foi Santarém, com 40,28% (dos 144 inquéritos enviados receberam-se 48 respostas); no lado oposto está a Região Autónoma da Madeira, em que, dos 35 inquéritos enviados, apenas se receberam 6 respostas (17,24%).

As respostas a este inquérito vão ajudar a conhecer melhor a realidade actual do ATL. O Grupo de Acompanhamento já está a estudar as respostas e, espera-se que, ainda neste mês de Janeiro, deverá habilitar a Confederação com um instrumento credível de trabalho que ajudará a tornar pública a posição da CNIS.

Muito embora já tenha terminado o prazo para envio das respostas ao inquérito, se a sua Instituição ainda não a enviou providencie para que a remeta imediatamente: quanto maior for o volume de respostas, mais consistente será a posição da CNIS.

Habitue-se à ideia de que a força da CNIS resulta da comunhão dinâmica que dela brotar…


2. ACTUALIZAÇÃO SALARIAL

Tendo em vista o ano de 2007, considerados vários factores, a Direcção da CNIS decidiu propor 2,2% como valor indicativo de actualização salarial nas IPSS.

É um valor apenas indicativo, sujeito a ajustada alteração em negociações a estabelecer com os sindicatos com os quais foram celebrados contratos colectivos de trabalho, pelo que as instituições não estão obrigadas a considerar, desde já, tal valor. Porém, não deixará de ser conveniente tê-lo presente para que se evitem futuros constrangimentos…

3. ANO EUROPEU DA IGUALDADE DE OPORTUNIDADES PARA TODOS

Pretendendo sensibilizar a população para os benefícios de uma sociedade justa e solidária, o Conselho Europeu apontou 2007 como o “Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos”. Inscrevendo o Ano da Igualdade de Oportunidades numa abordagem transversal do combate à discriminação, que deverá permitir assegurar a aplicação correcta e uniforme do enquadramento legislativo comunitário em toda a Europa, pondo em evidência os seus princípios essenciais e angariando o apoio activo do público à legislação em matéria de não-discriminação e de igualdade, o Conselho Europeu preconiza iniciativas de sensibilização que tenham por objectivo combater atitudes e comportamentos discriminatórios, bem como informar os cidadãos sobre os seus direitos e obrigações.

Espera-se um extenso e profícuo debate de ideias. Idealiza-se um ano efectivamente fértil de iniciativas que visem a promoção da igualdade de oportunidades. Iniciativas também, promovidas pelas instituições de solidariedade, elas que tão sensíveis são à promoção da inclusão pela via do reconhecimento da igualdade radical de todos no favorecimento de iguais oportunidades para todos.

4. ASSEMBLEIAS-GERAIS

As assembleias-gerais, ordinárias, da CNIS estão agendadas para os dias 31 de Março e 24 de Novembro.

Bom será reservar, desde já, esses dias para que seja significativa a participação nas assembleias magnas da Confederação…

Entretanto, lembra-se a todas as IPSS’s que deverão desenvolver as acções necessárias para, atempadamente, terem prontos os seus relatórios de actividades e as contas para serem apresentados nas respectivas assembleias-gerais (nos casos em que, estatutariamente, tal esteja previsto).

5. CUSTOS TÉCNICOS

Com o apoio do seu assessor para a área da economia, a CNIS fez um novo estudo, actualizado e sem constrangimentos, dos “Custos técnicos das valências do Acordo de Cooperação”.

Para esse estudo, oportunamente, foi enviado às IPSS’s um minucioso inquérito para servir de base sustentada e credível para o trabalho. Responderam 637 Instituições, de todo o País, que proporcionaram uma base única, da maior credibilidade e do maior interesse para o caminho a percorrer, também para a adopção e implementação do “novo modelo de cooperação”.

6. REDE SOCIAL

No dia 14 de Junho foi publicado no Diário da República – I Série A o Decreto-Lei nº 115/2006, aplicável em Portugal continental, que consagra os princípios, finalidades e objectivos da Rede Social, bem como a constituição, funcionamento e competência dos seus órgãos.

Segundo o artigo 21º, podem integrar os CLAS “Entidades sem fins lucrativos, tais como (…) instituições particulares de solidariedade social”. “A adesão (…) depende de as mesmas exercerem a sua actividade na respectiva área geográfica ou de o seu âmbito de intervenção ser relevante para o desenvolvimento social local” (artigo 22º).

Muito embora a CNIS seja reticente em relação a um ponto daquele documento legal (orientação municipalista), é de todo aconselhável a adesão das IPSS à Rede Social e a sua participação nos seus órgãos: é também lá que a nossa voz deverá ecoar…

7. REGISTO DAS IPSS

No dia 26 de Dezembro, no âmbito da implementação de medidas de simplificação de procedimentos e de divulgação da informação relacionada com o registo das instituições particulares de solidariedade social (IPSS), a Direcção-Geral da Segurança Social divulgou as condições para o acesso no sítio da Segurança Social (Internet), da informação relativa a:
- Identificação das instituições inscritas no Registo das IPSS;
- Publicação no Diário da República das declarações respeitantes ao registo da constituição das instituições, dos estatutos e respectivas alterações
(declarações publicadas nos últimos 3 meses).

Embora continue a dar-se conhecimento às instituições interessadas, logo após a efectivação dos actos de registo, do teor das declarações remetidas para publicação no Diário da República, será dispensada a posterior comunicação da data da publicação, uma vez que essa informação ficará disponível no sítio da Segurança Social.


Com os cumprimentos de respeito e amizade

Porto, 7 de Janeiro de 2007

O presidente da CNIS


___________________
(Lino Maia, padre)

 

Data de introdução: 2007-01-15



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...