BEJA

Centro Social para idosos abre após obras de um milhão de euros

Um novo centro social para idosos, com oferta de actividades desportivas, didácticas e de animação, abriu, em Beja, após obras de adaptação do antigo Palácio do Lidador, num investimento municipal de um milhão de euros.

O Centro Social do Lidador, gerido pela autarquia e que vai funcionar com valência de centro de dia naquela antiga casa senhorial do século XVIII.

O município pretende que o centro seja uma "extensão da casa do idoso", um "espaço informal de convívio entre idosos, mas também entre outras gerações" e uma "casa de aprendizagem".

Nesta lógica, refere o município, o centro, destinado a idosos sem grande dependência e com alguma autonomia, vai oferecer várias actividades, às quais, "normalmente, os idosos não têm acesso" e que servirão para "promover as suas reais capacidades".

O centro, aberto de segunda-feira a sábado, das 09:30 às 19:00, dispõe de uma cafetaria e vários espaços para jogos, leitura de jornais e revistas e visualização de filmes e documentários e outros com computadores ligados à Internet.

O programa de actividades regulares, disponíveis das 10:00 às 18:30, inclui ofertas na área da saúde e actividade física, como sessões de ginástica, hidroginástica e reiki.

Aulas para aprender a navegar na Internet, cursos de técnicas básicas de defesa e segurança pessoal e de bens, sessões de contos para "trabalhar a memória e recuperar a tradição oral" são outras das actividades regulares.

O centro prevê ainda realizar actividades pontuais, como um "chá dançante" mensal, comemorações de bodas de ouro de casais utentes, viagens em grupo, colóquios e debates.

A Câmara de Beja adquiriu o Palácio do Lidador, em 1999, e decidiu adaptar o edifício a centro social para idosos, cujas obras, que começaram em Março de 2005 e foram suspensas três meses depois, estiveram paradas cerca de um ano para prospecções arqueológicas, recomeçando em Maio de 2006.


01.10.2007

 

Data de introdução: 2007-10-01



















editorial

O TRIÂNGULO DA COOPERAÇÃO

A consciência social, aliada ao dever ético da solidariedade, representa uma instância suprema de cidadania, um compromisso inalienável para com os mais vulneráveis e em situação de marginalidade, exclusão e pobreza.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (II)
Na continuação dos assuntos abordados no meu texto anterior, reitero que vale a pena, aos dirigentes das IPSS, independentemente das suas convicções ideológicas ou...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A guerra na Ucrânia e as consequências para a Europa
A guerra na Ucrânia é, sem dúvida, o maior desafio que se coloca à União Europeia desde a sua fundação. É a primeira vez, desde a última grande...