ANGOLA

Fundo Lwini recebe 70 cadeiras de rodas e mil pares de muletas para doação

O Fundo de Solidariedade Social Lwini recebeu da Sociedade Portuguesa Industrial de Ortopedia "Siorto" 70 cadeiras de rodas e mil pares de canadianas (muletas) para doação. O gesto da instituição lusa constitui um apoio aos esforços que a ONG angolana empreende em prol das vítimas civis de minas terrestres em Angola.
Joana Lina, presidente do Conselho da Administração do Fundo Lwini, louvou a acção da Siorto. Segundo ela, já é notável a contribuição da sociedade e de empresários nacionais e internacionais na reinserção de diminuídos físicos angolanos. O gesto da Siorto, disse, representa confiança no Fundo Lwini para distribuição dos referido meios. 

Joana Lina referiu que a distribuição das cadeiras de rodas e dos pares de canadianas será feita em função das necessidades existentes. A entrega será feita por intermédio dos parceiros sociais que actuam nesta área. "Estamos a falar da Anda, Amiga, Lardef, entre outras instituições que ajudam deficientes. Poderemos também atender solicitações pontuais que vimos tendo", frisou.

Joana Lina mostrou-se satisfeita pela forma como os portadores de deficiência vêm sendo acolhidos no país. "Antes era difícil ver e sentir a solidariedade das pessoas para com os deficientes. Este comportamento tende a melhorar e vai ajudar na consciência dos mesmos na luta pela igualdade social", disse.

Por seu lado, o empresário português Américo Reis Xistra, proprietário da Siorto, considerou o gesto uma forma que a instituição encontrou de prestar solidariedade para com as pessoas carenciadas, em particular as vítimas de minas em Angola. "Achamos que com este espírito poderemos tornar a nossa participação mais activa na questão social dos angolanos carenciados e assim poder relançá-los na vida activa do país", disse.
Américo Xistra manifestou a intenção de colaborar com o Fundo Lwini na formação de portadores de deficiência, a partir de 2008. "Pretendemos, a partir do próximo ano, passar a enviar para Portugal pelo menos 10 deficientes, que posteriormente passarão a ser formadores de outros", disse.

Fonte: Jornal de Angola

 

Data de introdução: 2007-11-29



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.