CRIANÇAS E JOVENS

Segurança social assina protocolos com instituições

O Instituto de Segurança Social assinou em Santarém protocolos com 21 instituições de acolhimento com o objectivo de qualificar a rede de Lares de Infância e Juventude e incentivar a desinstitucionalização, em tempo útil, das crianças e jovens. Estes protocolos inserem-se no Plano Dom - Desafios, Oportunidades e Mudanças -, que prevê o reforço das equipas técnicas existentes em Lares onde o seu dimensionamento se revele insuficiente face ao número e problemática das crianças e jovens acolhidas assim como o desenvolvimento de acções de formação.

Segundo o Instituto de Segurança Social, o Plano Dom, de âmbito nacional, tem como objectivo principal a implementação de medidas de qualificação da rede de Lares de Infância e Juventude, incentivadoras de uma melhoria contínua da promoção de direitos e protecção das crianças e jovens acolhidas, no sentido da sua educação para a cidadania e desinstitucionalização, em tempo útil.

Os 21 lares - que hoje assinaram protocolos com o Instituto de Segurança Social, numa cerimónia presidida pela secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação, Idália Moniz -, acolhem um total de 768 crianças e jovens nos distritos de Lisboa, Santarém, Braga, Porto, Coimbra, Setúbal e Aveiro.

Ao abrigo destes protocolos serão contratados 54 técnicos que, juntamente com os técnicos já existentes, entram num plano de formação a iniciar já a partir de dia 1 de Abril.

Este plano deu os primeiros passos a 14 de Novembro com a celebração de protocolos com cinco instituições, envolvendo seis lares que acolhem 144 crianças e jovens.

Dos seis lares envolvidos, dois são do distrito de Lisboa, três de Setúbal e um de Aveiro.

Para este conjunto de lares, foram contratados nove técnicos ao abrigo do Dom e desenvolvidas acções de formação dos técnicos que já desempenhavam funções nessas Instituições, permitindo a qualificação da intervenção para um total de 20 técnicos.

28.03.2008

 

Data de introdução: 2008-03-27



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.