TRABALHO

Número de desempregados inscritos cai em 2 por cento em Julho

O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego caiu 2,0 por cento em Julho, face ao mesmo período do ano passado, mantendo a tendência de queda dos últimos seis meses, segundo o Instituto de Emprego e Formação Profissional. No final de Julho encontravam-se inscritos nos Centros de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 381.776 desempregados, menos 7.800 indivíduos que no período homólogo.

Desde Fevereiro que se regista uma tendência de queda dos inscritos nos Centros de Emprego, pelo que Julho foi o sexto mês consecutivo de melhoria deste indicador.

A queda do desemprego foi mais significativa nos homens (2,4 por cento) do que nas mulheres (1,7 por cento) e atingiu todas as classes de idades.

Foi, no entanto, na classe das pessoas com menos de 25 anos que o desemprego mais desceu, com um recuo de 2,1 por cento.

Os dados do IEFP mostram ainda que os desempregados à procura do primeiro emprego cresceram 1,1 por cento, representando 8,5 por cento do total de desempregados.

O desemprego baixou apenas no segmento de longa duração, com os inscritos há mais de um ano a totalizarem 40 por cento do desemprego registado.

Note-se ainda que todas as regiões com excepção do centro registaram descidas no número de desempregados. Lisboa e Vale do Tejo e Norte, que têm 75 por cento dos desempregados inscritos, viram o desemprego registado baixar 4,1 e 2,3 por cento, respectivamente, em Julho.

As ofertas de emprego nos Centros de Emprego subiram 4,8 por cento para 16,6 mil no final de Julho, com aumentos em todas as regiões excepto Norte e Algarve.

19.08.2008

 

Data de introdução: 2008-08-19



















editorial

NO CINQUENTENÁRIO DO 25 DE ABRIL

(...) Saudar Abril é reconhecer que há caminho a percorrer e seguir em frente: Um primeiro contributo será o da valorização da política e de quanto o serviço público dignifica o exercício da política e o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Liberdade e Democracia
Dentro de breves dias celebraremos os 50 anos do 25 de Abril. Muitas serão as opiniões sobre a importância desta efeméride. Uns considerarão que nenhum benefício...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Novo governo: boas e más notícias para a economia social
O Governo que acaba de tomar posse tem a sua investidura garantida pela promessa do PS de não apresentar nem viabilizar qualquer moção de rejeição do seu programa.