EDUCAÇÃO - Uma prioridade para a CNIS

No Congresso da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) o tema da educação ocupou uma parte significativa do debate e da atenção de todos.
Educação entendida desde a creche e como o adquirir de conhecimentos e competências ao longo da vida. Educação como uma dos pilares da inclusão social. Educação que não se limita ao sistema escolar, mas que exige o envolvimento e trabalho em rede de várias instituições em patamares diferentes: escola, família, instituições do sector solidário, instituições privadas, comunidades de bairro, igrejas, autarquias…

O conhecimento é um dos elementos mais determinantes da sociedade actual. A ausência do conhecimento, que se adquire privilegiadamente através do sistema educativo, é factor de exclusão. Acompanhar as inovações e mudanças tecnológicas presentes no mundo do trabalho exige uma actualização de conhecimentos ao longo de toda a vida.
Estes considerandos aprofundados no Centro de Estudos Sociais de CNIS fundamentam a proposta da Declaração de Princípios que será analisada e votada em próxima Assembleia Geral da CNIS.
Após a sua aprovação a CNIS divulgará a Declaração de Princípios a todo o Sector Solidário. No âmbito desta divulgação o Centro de Estudos Sociais tem planeado a realização de vários encontros regionais para aprofundar os projectos educativos das IPSS, nomeadamente os projectos pedagógicos a partir da creche.

 

 

Data de introdução: 2009-03-13



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...