GRIPE A

Grávidas e trabalhadores de saúde no topo da prioridade em vários países

Todas as mulheres grávidas, as crianças até aos cinco anos, os adultos com doenças crónicas e os trabalhadores de Saúde integram os grupos prioritários para a vacinação contra a Gripe A definidos por vários países.
Os grupos prioritários incluem ainda as pessoas que vivem ou tomam conta de bebés com menos de seis meses, todos os jovens com menos de 18 anos e os idosos com mais de 65 anos incluídos nos grupos de risco para a vacina normal da gripe.
Em Portugal, o grupo prioritário inclui os profissionais de saúde considerados "dificilmente substituíveis" e as grávidas "no segundo e terceiro trimestre de gravidez e com patologias graves associadas", segundo anunciou a ministra da Saúde, Ana Jorge. Outro grupo que irá prioritariamente receber a vacina é o dos profissionais que desempenhem "actividades essenciais".

Ana Jorge explicou que entre estes se encontram funcionários de empresas que fornecem serviços como gás, electricidade, comunicações, segurança, saneamento e também da comunicação social. Nesta primeira fase deverão ainda ser vacinados os titulares de órgäos de soberania.
Nos Estados Unidos, a lista de prioridades definida pelo Centro de Controlo de Doenças, de Atlanta (Geórgia), coloca à cabeça as mulheres grávidas, independentemente do tempo de gestação, seguidas das pessoas que vivem ou tomam conta de bebés até aos seis meses, considerando que até àquela idade não podem ser vacinadas.

A terceira prioridade é dada aos trabalhadores dos serviços de emergência e de Saúde, seguindo-se as pessoas entre os seis meses e os 24 anos de idade. O último grau do grupo prioritário destina-se aos adultos entre os 25 e os 64 anos com riscos de saúde face à gripe.
Em Inglaterra os profissionais de saúde, incluindo os dos serviços de emergência, estão na primeira linha, à frente de todas as mulheres grávidas e das crianças até aos cinco anos de idade.
Os adultos com menos de 65 anos afectados por doenças crónicas e todos os jovens com menos de 18 anos seguem-se na lista de prioridades, que termina com "todos os doentes näo incluídos nas categorias anteriores".

No Canadá todas as grávidas têm a primazia no grupo prioritário a vacinar, seguidas de todas as pessoas com doenças crónicas (asma, diabetes e insuficiências cardíacas), independentemente da idade. O terceiro grau de prioridade é destinado às crianças entre os seis meses e os cinco anos de idade, seguindo-se as pessoas que vivem em comunidades isoladas e remotas. A lista é fechada com os trabalhadores de saúde e com pessoas que tomam conta de pessoas cujo estado de saúde impede a vacinação.

 

Data de introdução: 2009-10-09



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...