OPINIÃO

E agora?

Por mais antipático que isto possa parecer, a verdade é que se torna incontornável a referência às recentemente anunciadas medidas de austeridade que o Governo pretende fazer aprovar no Orçamento de Estado!

Que as coisas há muito andavam mal, já a gente sabia! As crises internacionais misturadas com as crises internas conduziram-nos para endividamentos insuportáveis para uma economia em estado de coma.

Deixemos para os políticos profissionais sentados na Assembleia da República as decisões que entenderem mais adequadas para o bem do País nesta encruzilhada da nossa história mais recente!

Porém, mesmo que “laicos” em política…percebemos todos o suficiente para temer que os portugueses não se resignem a aceitar tantos sacrifícios em troca de tão poucos benefícios para o seu dia-a-dia.

Das medidas anunciadas facilmente se verifica que vão ter de ser os mais pobres a pagar os desmandos financeiros de quem nos tem governado. Não há direito!

Em tempos de mares agitados, recomenda-se a existência de bóias de salvação capazes de ajudarem a sobreviver quem se sentir em perigo de afundamento!

Esperemos que as IPSS, que recorrentemente têm servido de âncora de salvação a milhares e milhares de pessoas que, ao longo dos tempos, se têm visto enredadas em situações de insegurança e perigo, não se vejam, também elas, em risco de naufragar!

Pe. José Maia

 

Data de introdução: 2010-10-09



















editorial

Novos passos na Cooperação

Com a assunção por parte do Estado das comparticipações familiares das crianças do 1º e 2º escalão, já cerca de 50.000 crianças tinham Creche gratuita. Entretanto, a Lei nº 2/2022, de 3 de janeiro, determina...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

Trabalho digno
O governo apresentou no Parlamento um diploma que define um conjunto de novas regras para regular o mercado de trabalho e intitulou esse conjunto como a Agenda para o Trabalho Digno.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

A Política Melhor (IV)
Continuando na senda das reflexões anteriores, conheçamos, agora, o que pensa o Papa Francisco, na sua Carta Encíclica Fratelli Tutti, sobre a importância da política...