ASSEMBLEIA GERAL DA CNIS

Relatório e Contas de 2010 aprovados

«A situação financeira da CNIS apresenta uma posição confortável (…) os relatórios reflectem de forma apropriada as actividades da CNIS pelo que o Conselho Fiscal aconselha a sua aprovação». Foi este o teor do parecer do Conselho Fiscal sobre o Relatório e Contas do ano de 2010 apresentados pela Direcção da CNIS e que na hora da votação recebeu o voto maioritário das 127 instituições representadas, registando-se 22 votos contra e 17 abstenções.

A Assembleia Geral ordinária da CNIS, realizada em Fátima no último sábado de Março, tinha como pontos da ordem de trabalhos a apresentação, apreciação e votação do Relatório e Contas do exercício de 2010.
Igualmente aprovada por maioria (com oito votos contra e quatro abstenções) foi a proposta da Direcção em passar o Resultado Líquido (221.673,08 euros) para Resultados Transitados.

A reunião magna abriu com a apresentação às instituições associadas do Plano de Actividades desenvolvido em 2010, com especial destaque para as iniciativas realizadas no âmbito do Ano Europeu de Combate à Pobreza e à Exclusão Social; da Formação, Investigação, Inovação e Qualidade; da Cooperação, Ordenamento jurídico, Redes Sociais e Parcerias; da Coesão Interna; da Contratação Colectiva; e da Comunicação, Imagem institucional e Eventos.

Após a apresentação dos dois documentos, houve um momento de debate, com alguns dos representantes de instituições a colocarem algumas questões sobre as Contas, a que a Direcção respondeu, esclarecendo os presentes.
Na recta final da reunião foram prestadas algumas informações sobre o Congresso da CNIS, a realizar em Santarém, nos próximos dias 20 e 21 de Maio, sob o lema «Rumo Solidário para Portugal».

Lei de Bases para a Economia Social

A propósito de rumores que dão como em marcha a criação de uma Lei de Bases para a Economia Social, o presidente da CNIS tomou a palavra e esclareceu estar a par do processo, revelando ter conhecimento de que o mesmo tem duas fontes, sendo que uma delas é o PSD, “que copiou o documento das Cortes espanholas”.
O padre Lino Maia adiantou ainda que foi consultado, a propósito do trabalho da Comissão Nacional para a Economia Social, que “está a dar alguns passos para criar uma Lei de Bases”. “No entanto, quero deixar-vos a minha opinião e essa é que se deve andar devagar e bem, pois havia receios fundados de que o caminho que estava a ser seguido pela Comissão Nacional para a Economia Social ia em direcção à descaracterização do Sector Solidário”, frisou o presidente da Direcção, acrescentando: “Às vezes é melhor não ter lei do que ter uma lei má, em que o Sector Solidário seja diluído no Sector Cooperativo”.

Findos os esclarecimentos, o presidente da Mesa da Assembleia Geral, Mário Dias, deu por encerrada a reunião, declarando, de seguida, aberta a Assembleia Geral extraordinária, que tinha como ponto único da ordem de trabalhos a «Apreciação, discussão e aprovação da proposta da Direcção do Regulamento Eleitoral da CNIS».
Porém, face ao adiantado da hora, foi proposta a suspensão da mesma e o seu adiamento para dia 30 de Abril, o que recolheu a aprovação por maioria das 124 instituições representadas, registando-se apenas três abstenções.

Protocolo em defesa do Ambiente

Destaque ainda para a assinatura de um protocolo entre a CNIS e a empresa Write Up, que labora na área da reciclagem de equipamentos eléctricos e electrónicos. Através do protocolo ali assinado, as instituições, sem custos e com benefícios, podem promover a reciclagem dos referidos equipamentos junto das suas comunidades e auferir algum ganho, por meio de um sistema de pontos que será traduzido em dinheiro, não tendo qualquer outro encargo que não seja recolher os equipamentos, que a empresa, depois, se encarregará de ir buscar às mesmas. Com este protocolo, as IPSS estão a ajudar a proteger o Planeta e ainda podem ter benefícios financeiros.

Pedro Vasco Oliveira (texto e fotos)

 

Data de introdução: 2011-04-07



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...